Laureci Kanzler, do Laboratório Municipal, mostra larvas do mosquito Aedes aegypti - Foto: Eduardo Montecino
Laureci Kanzler, do Laboratório Municipal, mostra larvas do mosquito Aedes aegypti - Foto: Eduardo Montecino
Da mesma forma que ocorre em 28 municípios catarinenses infestados pelo mosquito Aedes aegypti, Jaraguá do Sul passará a contar com Sala de Situação para o controle do vetor de dengue, chikungunya e zika vírus. Ontem, o coordenador do programa de combate ao Aedes aegypti da Diretoria de Vigilância Epidemiológica do município, Augusto César Poffo, confirmou a mudança com o secretário da Saúde, Dalton Fernando Fischer.
A medida atende solicitação da Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado (Dive-SC), feita através de portaria, e prevê o envolvimento da Fujama (Fundação Jaraguaense do Meio Ambiente), secretarias municipais de Urbanismo (setor de Posturas), Obras e Educação, além da 24ª Regional de Saúde e do Ministério Público.
Poffo afirma que desde ontem o município passou a intensificar a fiscalização em 79 estabelecimentos com risco de proliferação do mosquito, que estão entre os 150 pontos estratégicos monitorados. “Caso os donos desses 79 locais não tomem providências para evitar o surgimento de criadouros, serão infracionados, multados e encaminhados ao Ministério Público”. Além das 150 armadilhas em pontos estratégicos, mais 664 estão distribuídas no município.
De janeiro até ontem, quatro focos do mosquito foram encontrados em Jaraguá do Sul, nos bairros Água Verde, Vila Lalau, Vieira e Santa Luzia.
dengue1Monitoramento no bairro Vieira
O supervisor de campo do programa de combate ao Aedes aegypti, Cláudio Blosfeld, confirma que desde ontem até amanhã cerca de cinco agentes de endemias percorrem 243 residências no bairro Vieira, após 60 dias do início do monitoramento. O setor dispõe de 12 agentes de campo, três laboratoristas, um coordenador e um supervisor. As larvas, ou insetos, eventualmente encontrados nas armadilhas, são encaminhados para análise no laboratório municipal.
dengue2Sete casos de dengue e outro de chikungunya confirmados em 2016
A supervisora da Diretoria de Epidemiologia de Jaraguá do Sul, Marinei Ostetto, confirma que até a manhã de ontem haviam 43 casos suspeitos de dengue notificados em Jaraguá do Sul neste ano, sete confirmados e um registro de chikungunya, todos adquirido fora de Jaraguá do Sul. “Fazemos o monitoramento, mas não tem nenhum caso grave”, afirma Marinei. Boletim atualizado na terça-feira (8) e divulgado ontem pela Dive-SC aponta que o Estado soma 1.050 casos confirmados da dengue desde janeiro, em que 898 são autócnes, 170 “importados” e 45 aguardando localização provável. Foram descartadas 1.379 suspeitas e 1.379 estão em investigação. Há nove confirmações para chikungunya, 20 suspeitas descartadas e 153 que ainda não receberam o resultado dos exames. Em relação ao zika vírus, Santa Catarina tem 13 casos confirmados, 62 descartados e 98 suspeitos.
dengue3Guerra ao mosquito
Neste sábado, às 8h, começa a mobilização desencadeada por quatro profissionais do posto de saúde do bairro Boa Vista e nove integrantes do Grupo de Escoteiros Jacoritaba, que sairão às ruas da localidade para conscientizar a população sobre como manter longe a ameaça do Aedes aegypti. Divididos em grupos, eles percorrerão as ruas Domingos Rosa, Campo Alegre, Alagoas e José Theodoro Ribeiro e laterais. A intenção é distribuir em torno de 300 fôlderes. “Se não conseguirmos visitar todas as ruas dessa vez, marcaremos outra data”, explica a coordenadora da ação, enfermeira Vanessa Rech Ranghetti. Serão visitadas áreas onde não há atuação de agentes comunitários de saúde.