Faleceu nesta quinta-feira (29), aos 87 anos de idade, Alminda Franzner, fundadora da empresa Urbano Alimentos ao lado do marido Urbano Franzner (em memória). Ela também era mãe do vice-prefeito de Jaraguá do Sul, Jair Franzner.

Alminda nasceu em 28 de fevereiro de 1934, na localidade Jaraguá Esquerdo, filha de Arduino Pradi e Dolorata Dalri. A família era tradicional do bairro, onde o pai tinha comércio.

Na juventude, conheceu o agricultor Urbano, que também morava na localidade, seu primeiro e único amor. Eles se casaram em abril de 1951 - ela com 17 anos, ele com 25.

A história da família se mistura com a construção de uma das maiores empresas de alimentos do País, que atua no beneficiamento de arroz, feijão, farinha e macarrão de arroz.

Foi logo nos primeiros anos de casados, no início dos anos 50, que surgiu a motivação de começar um negócio próprio.

Urbano montou uma atafona para produzir farinha de milho e para polenta - movida nos três primeiros anos com uma roda d'água, conforme histórico publicado em 1992 do OCP.

Alminda e Urbano em publicação do OCP no ano de 2000. Foto Reprodução/OCP News

Segundo o escritor João Chiodini, que redigiu um livro sobre a história da empresa, Alminda teve uma grande participação nos primeiros anos.

Nesse começo, tudo era muito caseiro ficava na retaguarda do seu Urbano, cuidava da venda dos produtos, ligava e desligava as máquinas quando era preciso.

A história começa oficialmente com a abertura da Cerealista Urbano, em 1960, e desde então a empresa foi expandindo ano a ano até chegar à potência nacional que é atualmente.

Segundo Chiodini, ao longo de toda jornada da empresa, Alminda esteve muito presente como uma grande conselheira. O fato da empresa ter se desenvolvido ao redor da casa da família também a fazia muito presente - até seu falecimento, ela vivia no imóvel que está praticamente dentro da sede.

Para além de uma empresa com mais de 1.200 colaboradores diretos, presente em 10 estados brasileiros, Alminda e Urbano formaram uma grande família, com 10 filhos, netos e bisnetos.

Nas entrevistas para o livro da família, Alminda comantava das saudades de Urbano - que faleceu em 2014, também aos 87 anos - e expressava o orgulho em ver os frutos do trabalho do casal.

Ela não escondia a admiração de ver como a empresa, que começou no bairro onde os dois nasceram, atravessou fronteiras comandada pelos filhos.

Alminda e Urbano. Foto Arquivo Pessoal/Divulgação

 

Em depoimento para a publicação, Alminda definiu: “Certa vez, eu estava numa consulta médica e o doutor me perguntou admirado: como vocês conseguiram criar dez filhos e montar uma empresa desse porte? Eu pensei um pouco e respondi: sabe o que é, doutor. É amor. A gente sempre faz tudo com muito amor”.

Vice-prefeito Jair Franzner e a mãe. Foto Divulgação

Prefeitura decreta luto oficial

Em nota oficial, a Prefeitura de Jaraguá do Sul lamentou a morte de Alminda, decretando luto oficial de três dias.

O município lamentou o falecimento, prestando sentimentos de solidariedade à família e amigos enlutados. Mãe, avó e bisavó, Dona Alminda foi descrita como o alicerce da família, zelando pela união e pelo bem de todos.

No seu perfil no Facebook, o prefeito Antídio Lunelli expressou sua admiração por Alminda e pelo marido dela Urbano, falecido em 2014.

“Dona Alminda foi quem incentivou o Jair a entrar nesta jornada da vida pública ao meu lado. Serei eternamente grato. Que Deus a receba de braços abertos e conforte essa família maravilhosa que vocês formaram”, publicou o prefeito.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp