Em 2018, Jaraguá do Sul se comprometeu a acelerar os esforços para alcançar o fim da epidemia de Aids até o ano de 2030. O objetivo foi firmado com a assinatura da Declaração de Paris de prevenção e combate ao HIV e Aids, criada pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Uma das resoluções do documento é a conquista da meta "90-90-90", que significa ter, até 2020, 90% das pessoas que vivem com HIV sabendo que possuem o vírus, 90% das pessoas diagnosticadas com HIV recebendo tratamento e 90% das pessoas em tratamento com carga viral indetectável. Isso significa praticamente zerar a transmissão do vírus.

De acordo com a Secretaria de Saúde, foram notificados 274 casos de HIV entre os anos de 2014 e 2018 no município.

De 2014 para 2015 houve um aumento de casos, com 59 registros em 2014 e com um pico em 2015, quando foram notificados 83 casos de HIV e 80 de Aids.

Apesar disso, o município destoa da realidade do país que registrou um aumento de 21% no número de infecções pelo vírus HIV, desde 2010. Os dados são do Unaids, programa conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids.

Foto Studio OCP

Segundo a gerente de Vigilância Epidemiológica, Fabiane da Silva, o aumento de casos no ano de 2015 se deve a uma mudança de notificação realizada pelo Ministério da Saúde.

"Antes de 2014, somente os casos de Aids eram de notificação compulsória, a partir daquele ano, começaram a ser notificados também os casos de HIV", explica. "A facilidade dos diagnósticos também se deve ao fato dos testes rápidos que passaram a ser disponibilizados naquele ano", completa.

Conforme o relatório epidemiológico, durante todo o ano de 2018 foram realizados 11 mil testes rápidos de HIV. Somente no primeiro semestre de 2019 foram 6,8 mil testes, o que indica que neste ano o município terá um aumento de exames realizados em comparação com o ano anterior.

Queda em casos de HIV positivo

Nos anos seguintes a 2015, o município obteve uma redução de casos notificados. Em 2016, houve 56 casos de Aids e 46 notificações do vírus HIV, representando um percentual de queda de 30% e 44%, respectivamente.

O levantamento aponta ainda que em 2017 foram 49 casos de HIV. Já em 2018, Jaraguá do Sul registrou 37 casos novos do vírus, representando um percentual de queda de 24%.

Nos últimos cinco anos o município registrou 38 óbitos em decorrência da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. Em 2018 foram registradas nove mortes e entre janeiro e julho deste ano, foram confirmadas duas mortes em decorrência da doença.

Ações de conscientização

Na avaliação da gerente de Vigilância Epidemiológica, Fabiane da Silva, para acabar com a epidemia da Aids até o ano de 2030 é preciso praticar desde cedo a educação sexual.

"São pouquíssimos pais que falam com os filhos sobre sexo. A criança, quando chega na adolescência, vai ter o primeiro contato sobre o assunto na internet, onde nem sempre as informações são corretas", acredita.

Segundo a Secretaria de Saúde, cerca de 800 pessoas estão em fase de tratamento atualmente. Desde total, os jovens são os maiores afetados pelo vírus HIV em Jaraguá do Sul.

"Atendemos muitas pessoas que acabam se infectando no primeiro relacionamento", explica. "O casal que opta por não usar preservativo está correndo o risco de contrair o vírus ou outra doença", salienta.

Foto Arquivo OCP News

Buscando diminuir ainda mais os casos de HIV e Aids no município, a pasta realiza com frequência palestras em escolas, empresas e ações educativas no centro da cidade para conscientizar a população sobre os riscos.

De acordo com Fabiane, uma destas ações realizadas pela pasta é a campanha "Pega não, Pega sim". "Foram instalados 200 dispensers de acrílico com preservativos gratuitos em casas noturnas, faculdades e no terminal urbano", explica.

Saiba como fazer o teste rápido

Os testes são realizados em todos os postos de saúde do município, nos Pamas, nos Centro de Atenção Psicossocial (CAPS),no CTA - Centro de Testagem e Aconselhamento, Centro de Atendimento à Mulher (CAM) e nos hospitais.

Para fazer o teste, basta ir a um desses locais e solicitar o exame ao responsável.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger