Acostumado a receber festividades típicas germânicas, o Parque Municipal de Eventos de Jaraguá do Sul será uma verdadeira casa para o conhecimento até a próxima sexta-feira (21). Pelos pavilhões, estão espalhados 228 trabalhos de alunos do ensino fundamental e médio.

Destes, 108 pertencem à Feira Municipal Científica e Tecnológica (Fecitec) e à Feira de Educação Matemática. Outros 120 projetos fazem parte da Feira Brasileira de Iniciação Científica (Febic), que reúne estudantes da região, de 13 estados brasileiros e dois do Paraguai.

O Movimento Jaraguá em Ciência começou na segunda-feira (17) e encerra as exposições amanhã (20). Segundo o secretário de Educação, Rogério Jung, juntar as três feiras em um mesmo evento era um desejo antigo, com o objetivo de proporcionar uma troca de experiências maior entre alunos de diferentes idades.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

"Aqui, eles têm acesso a todas as disciplinas e conhecimentos. Isso ajuda a despertar o interesse pelo ensino", avalia o secretário. A abertura do evento contou com mais de mil pessoas e, de acordo com Jung, cinco mil pessoas devem passar pelo Parque de Eventos até sexta-feira (21), quando ocorre o encerramento e premiação da Febic.

A rede municipal disponibilizou transporte para todas as escolas visitarem as feiras. Graças à Febic, aproximadamente 180 pessoas, entre alunos e professores, estão hospedados em Jaraguá do Sul.

Na sexta-feira, esses participantes terão o dia livre para conhecer os atrativos da região. Às 18h, será feita a premiação e o encerramento da feira de Iniciação Científica.

Já a Feira de Matemática e a Fecitec acabam na quarta-feira (19), também com entrega de prêmios aos melhores trabalhos.

"Queremos fortalecer essa cultura de feiras de conhecimento na cidade e trazer cada vez mais eventos e olhares diferentes para a educação", completa o secretário. A entrada para o Movimenta Jaraguá em Ciência é gratuita.

Projetos criativos desenvolvem pesquisa e aprendizado

Cores vibrantes e objetos que chamam a atenção do público é o que não falta no Parque de Eventos.

Trabalhos sobre o meio ambiente, sistema solar, morte, animais, gastronomia e muitos outros temas englobam as diferentes disciplinas do ensino curricular e fomentam a pesquisa como princípio científico e educativo no processo de ensino e de aprendizagem.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Com um caixão exposto no estande, as alunas Samanta Maass e Anne Wunderlich, do nono ano da escola municipal Loteamento Amizade, abordam sobre as diferentes formas de enfrentar a morte, a partir do ensino religioso. Alguns dos tópicos trabalhados foram o suicídio e a autopsia.

"O objetivo é chocar mesmo, mostrar que a morte faz parte da nossa rotina, é a vida", comenta Samantha.

Outro projeto que atrai o olhar dos curiosos é o do safári, da escola municipal Maria Nilda Salai Stähelin. Nele, além do protótipo de uma girafa, o público pode ter a experiência de estar em um safári ao usar um óculos 3D.

O item foi comprado pela própria professora, Aline Gasda. "Muitas vezes queremos ensinar algo que, sem trazer algo desse universo para a realidade dos alunos fica desinteressante, então temos que usar outras abordagens, como a lúdica", explica Aline.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Da cidade de Monte Mor, em São Paulo, a estudante Paola Dario, 17 anos, veio para Jaraguá apresentar um trabalho sobre política. Ela explica que quer divulgar conhecimentos básicos da política no Brasil para que as pessoas possam escolher, com mais propriedade, seus candidatos.

Paola também incentivar os cidadãos a terem mais argumentos para não acreditar em tudo o que veem sobre política nas redes sociais.

Já os alunos da escola municipal Erich Blosfeld trouxeram uma verdadeira cozinha para a feira.

Segundo a professora Débora Pamplona, a turma do terceiro ano do ensino fundamental usou práticas simples do dia a dia, como cozinhar, ir ao supermercado e olhar panfletos com preços para estudar sobre sistema monetário, português, ciências e artes.

"Foi muito bom fazer o trabalho e aprender um pouco mais. Pra apresentar aqui foi mais difícil no começo, mas agora já acostumei", relata a aluna Renata Laube, 8 anos.

Horários

Feira de Matemática e Fecitec

Exposições: das 8h às 12h e das 13h30 às 15h, com encerramento às 17h de hoje

Febic

Das 9h às 12h e das 13h30 às 18h30 hoje (19), e das 9h às 12h e das 13h30 às 15h45 na quinta-feira (20)

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?