A Vigilância Epidemiológica de Jaraguá do Sul informou ontem que o mês de janeiro fechou com 21 casos suspeitos de dengue e uma confirmação da doença no município. O resultado dos exames ainda é aguardado e não tem prazo para ser divulgado, segundo o órgão. No ano passado, o município registrou 79 casos suspeitos de dengue e 13 confirmados, números superiores a 2014, quando foram 12 suspeitos e quatro confirmados, o que levanta o alerta diante do aumento da proliferação do mosquito. Até o dia 22, eram 14 casos suspeitos para dengue e dois para a febre chikungunya, enviados ao Lacen (Laboratório Central) de Curitiba. Nenhum caso relacionado ao zika vírus foi diagnosticado. Um caso de chikungunya foi confirmado em janeiro, de uma paciente que veio do México e realizou o exame na cidade no mês anterior. A média de nascimentos em Jaraguá do Sul gira em torno de 300/mês e em 2015 foram cerca de três mil nascimentos nos hospitais Jaraguá e São José. “Fazemos contatos diários com os dois hospitais, com as unidades de saúde e conferimos as notificações”, assinala a supervisora da Vigilância Epidemiológica, Marinei Ostetto. Nenhum caso de microcefalia foi registrado. De 1º a 23 de janeiro de 2016 foram notificados 559 casos de dengue no Estado (523 aguardam resultado laboratorial, nove foram confirmados e 27 foram descartados). Segundo o supervisor de campo do Programa de Combate ao Aedes Aegypti da Vigilância em Saúde, Cláudio Blosfeld, Jaraguá do Sul continua com dois focos do mosquito Aedes Aegypti encontrados em 2016, nos bairros Centenário e Água Verde. São 17 agentes que trabalham no programa, no monitoramento de 626 armadilhas e 154 pontos estratégicos (borracharias, lojas de materiais de construção e cemitérios). Dos 154 pontos, 79 apresentaram deficiência no controle e foram notificados ou multados. “Aqui no Estado, nossa preocupação é com os municípios vizinhos, como Joinville, Itajaí e Balneário Camboriú, que também têm casos de dengue”, enfatiza. O governo do Estado enviou cinco mil fôlderes com dicas para eliminar os criadouros do mosquito e alertar sobre os principais sintomas das três doenças para as 24 unidades municipais de saúde. Sinais e sintomas • Dengue Febre alta; Dor atrás dos olhos; Dor muscular intensa. • Chicungunya Febre alta; Dor intensa nas articulações que pode causar limitação dos movimentos. • Zika Febre baixa; Manchas avermelhadas pelo corpo com coceira (exatema); Inchaço nas articulações. Fonte: Secretaria da Saúde de Santa Catarina