Uma das unidades mais antigas do IFSC em Santa Catarina deve ganhar uma cara nova ainda este ano. O IFSC de Jaraguá do Sul está em obras e o investimento deve superar os R$ 2 milhões. A mudança mais significativa e a que também tem o maior orçamento previsto é a construção da quadra poliesportiva coberta, que representa R$ 1,1 milhão do montante total. A construção, que teve início no dia 5 de fevereiro, tem prazo de execução de nove meses, ou seja, deve ser entregue até novembro. Enquanto as obras estiverem sendo executadas, os alunos do IFSC terão as aulas de educação física redirecionadas para o ginásio municipal Arthur Müller e para o CEU (Centro de Artes e Esportes Unificado) Mestre Manequinha, na Vila Lenzi. Além da quadra poliesportiva coberta, o IFSC terá um incremento com estacionamento de motos e bicicletário, pintura, retirada de cabos elétricos, de informática e telefonia dos corredores, modernizando assim o prédio e revitalização do auditório. Receba as notícias do OCP Online no celular. Clique aqui para entrar no grupo de WhatsApp Os estacionamentos, tanto de moto, como o bicicletário, serão reconstruídos ao lado da nova quadra para otimizar o espaço e, portanto, serão entregues também em novembro, com o término da obra de construção do espaço esportivo. Além da cobertura da quadra e dos estacionamentos, o corredor que ligará os espaços ao bloco C também ganhará cobertura. A pintura ainda não foi iniciada, mas a empresa vencedora da licitação garante que o início do serviço deve ocorrer em breve. Todo o trabalho de pintura do campus representa aproximadamente R$ 130 mil já incluídos no valor total de investimento que gira em torno dos R$ 2 milhões. A retirada dos cabos que estão aparentes também deve ocorrer em breve. De acordo com o próprio IFSC, a empresa ainda não começou o serviço porque necessitava da colocação de switches – equipamentos de TI instalados na unidade – que permitem a alteração nas fiações. A revitalização do auditório ainda está em fase de projeto. De acordo com o instituto, o objetivo é “concentrarmos esforços para viabilizarmos o projeto, licitação e execução dessa obra ainda em 2018, beneficiando toda a comunidade interna e externa”. A previsão é de que a obra custe em torno de R$ 35 mil.