Termina à meia-noite desta quinta-feira (15), o prazo de inscrição para o Festival de Música de Santa Catarina (Femusc).

De acordo com o criador e responsável pelo festival, maestro Alex Klein, até o momento já há 884 inscritos, representando os cinco continentes - as três Américas, Europa, Ásia, África e Oceania. "A nossa expectativa é que o número de inscrições chegue a mil até o encerramento do prazo", informa.

A 18ª edição do evento será realizado na Scar, em Jaraguá do Sul, entre os dias oito e 28 de janeiro de 2023.

Foto: Arquivo OCP

"Na última vez que fizemos um 'grande' Femusc, antes da pandemia, em 2020, tivemos mais de 1500 inscrições. A pandemia, a economia, a instabilidade política e as guerras com certeza afetam as inscrições, mas estamos muito felizes com os resultados para 2023", declara o maestro Alex Klein.

"É sempre bom lembrar que o Femusc não faz marketing 'ativo', como fabricar e enviar cartazes a escolas de música e orquestras jovens no mundo todo. Nós nos comunicamos com alunos através da mídia social e de emails enviados a ex-alunos. Todas estas inscrições são fruto da boa palavra passada adiante de ex-alunos para novos candidatos", ressalta Klein.

Foto Dielin da Silva / OCP News

Femusc 2023 será dividido em dois grupos

O crescimento e desenvolvimento do festival ao longo dos anos torna necessária a divisão em duas áreas principais de atuação. O Festival Internacional é composto pelos programas orquestrais Avançado e Intermediário, o Programa de Quartetos de Cordas, de Ópera e Canto Lírico, de Música Popular Brasileira e de Música Antiga.

É para o Festival Internacional que o Femusc recebe centenas de estudantes estrangeiros, vindos dos mais diversos países. “São trazidos a Jaraguá do Sul nomes expressivos e pertencentes a grandes orquestras e conservatórios de música mundiais. O Festival Internacional é profissionalizante, no sentido de exigir de seus participantes dedicação e seriedade compatíveis com as expectativas de mercado”, explica Alex Klein. No decorrer dos anos, dezenas de participantes do festival foram presenteados com bolsas de estudo no exterior e hoje ocupam posições de liderança em orquestras nos países em que estão.

O Festival Social é outra iniciativa do evento, que estimula o desenvolvimento cultural da sociedade e está aberto a residentes de Jaraguá do Sul e microrregião. O Festival Social não é profissionalizante e visa somente o entusiasmo da participação orquestral e a vivência da música, sem a competitividade típica do festival.

Foto Divulgação/Chan

Novidades

Uma das novidades do evento em 2023 é o Femusc Jaraguá, uma nova evolução no Festival Social, que vai envolver, principalmente, músicos de 17 a 23 anos, mas não há uma limite de idade. “O Festival Social acompanha o desenvolvimento das artes orquestrais em Jaraguá do Sul e microrregião, provendo classes instrumentais, ensaios e interação direta também com as atividades do Festival Internacional”, explica o Maestro.

Programação

Com base nos festivais anteriores, existem grandes expectativas para a edição de 2023. Estão previstas três obras encenadas, começando pela “Paixão Segundo São Mateus" de Johann Sebastian Bach, “As verdades de Orfeo” com música de Claudio Monteverdi e Cristoph Willibald Gluck, e por fim “Hansel e Gretel” de Engelbert Humperdinck.

A Orquestra de Professores do Femusc vai apresentar o “Concerto para Violino e Orquestra” de Johannes Brahms, tendo como solista o Professor John McGrosso. A Banda Sinfônica do Femusc, sob a liderança do catarinense Luiz Lenzi, apresentará a “Rapsódia em Blue”, de George Gershwin, tendo como pianista solista o Professor Alexandre Dossin.

já a Orquestra Sinfônica do Femusc, formada por estudantes mais avançados, apresentará a “Sinfonia n. 3” de Johannes Brahms, além de um documento musical singelo, em concerto contendo uma obra ucraniana “Melodia” de Myroslav Skoryk, além de trechos da “Sinfonia n. 6”, do russo Peter Tchaikovsky.

A expectativa é que o Femusc 2023 tenha mais de 250 apresentações abertas ao público durante as três semanas do evento.