Na tradicional Reunião do Conselho da Acij (Associação Empresarial de Joinville), o maestro Sergio Ogawa, diretor-presidente do Musicarium Academia Filarmônica Brasileira, falou sobre como esse empreendimento cultural impacta socialmente a vida de crianças e jovens.

O Musicarium começou em 2017 e está transformando a história de quase 200 alunos, sendo 85% da rede pública de ensino, que estudam música clássica orquestral.

Na ocasião, os convidados tiveram a oportunidade de prestigiar a Camerata de Cordas, que apresentou as obras Divertimento (Wolfgang Amadeus Mozart) e Mourão (César Guerra Peixe).

"Nesta apresentação contamos com jovens entre 11 e 15 anos, que há 4 anos nunca tinham tocado um violino, por exemplo. O nível de performance com a idade deles é altíssima e nós estamos trabalhando para formar a Orquestra Filarmônica. Certamente será um grande presente para Joinville, mas para seguirmos é importante o investimento das pessoas nessa transformação sociocultural. Mostrar um pouco do Musicarium na Reunião do Conselho da Acij foi uma excelente oportunidade para sensibilizar e engajar os empresários e a comunidade para abraçar esse propósito", disse Ogawa.

O presidente da Acij, Marco Antonio Corsini, agradeceu a apresentação do Musicarium e destacou o caráter social do projeto.

"Além da excelência artística, o Musicarium tem o mérito da inclusão social por dar oportunidades para jovens estudantes de escolas públicas que têm grande talento e muitas vezes não conseguem realizar seus sonhos por falta de recursos", concluiu.

Sobre o Musicarium

O Musicarium Academia Filarmônica Brasileira é uma associação sem fins lucrativos que atende crianças e jovens dos 4 aos 17 anos de idade. Todos os alunos são bolsistas e 85% estão na rede pública de ensino.

É uma academia de música orquestral que investe na formação de futuras gerações de músicos profissionais com o objetivo de compor em alta performance o corpo docente e a grande Orquestra Filarmônica do Musicarium em 2030.

“Proporcionamos o melhor: professores, instrumentos musicais, oficinas e masterclasses com profissionais renomados. Nós os preparamos para que sejam pessoas e profissionais de excelência. Eles terão condições de estudar em faculdades de música de referência no exterior para construir uma sólida formação acadêmica e artística e retornar ao Brasil, atuando no Musicarium como professores e instrumentistas, contribuindo de forma contínua para o ciclo virtuoso de formação de jovens talentos e orquestras. Acreditamos na construção de um ecossistema sociocultural que fará a diferença em grande escala para a cidade de Joinville e para o Brasil”, afirma Sergio Ogawa.

Sergio Ogawa

O diretor-presidente do Musicarium Academia Filarmônica Brasileira é maestro com mais de 35 anos de experiência no desenvolvimento de orquestras infanto-juvenis.

Participou da formação de mais de 600 jovens músicos em projetos por todo o País. E realizou concertos no Brasil, na América do Sul e nos Estados Unidos.

Trabalha para que o Musicarium possa transformar vidas e construir um legado sociocultural para a comunidade e um modelo inspirador para o País.

Ao mesmo tempo atua na ampliação da rede de relacionamento com parceiros e investidores visando à sustentabilidade, para promover a excelência e a perenidade do Musicarium.