A Prefeitura de Florianópolis, em parceria com o Conselho Municipal de Saneamento Básico (COMSAB), promovem a partir desta quinta-feira (22) a II Conferência Municipal de Saneamento Básico da Capital, que terá como tema "Como tirar o saneamento do papel?". A abertura do evento será no Plenarinho da Assembleia Legislativa, às 18h30. Ver programação aqui: http://www.pmf.sc.gov.br/sites/2cmsb/index.php?cms=programacao&menu=0 De acordo com o Superintendente de Habitação e Saneamento, Lucas Arruda, a ideia da Conferência, gratuita, é possibilitar a participação social na validação da revisão das metas do Plano Municipal de Saneamento Básico, bem como apresentar publicamente para fins de aperfeiçoamento minutas de projetos de lei municipais relativos às questões de drenagem urbana, resíduos sólidos e esgotamento sanitário. "Para podermos modernizar o setor de saneamento da cidade", adianta Arruda. A II Conferência Municipal de Saneamento Básico da Capital seguirá até o dia 07 de junho. Durante os meses de abril e maio contará com oito reuniões técnicas preparatórias, atendendo a todos os eixos do saneamento básico (abastecimento de água, drenagem urbana, resíduos sólidos e esgotamento sanitário). Nos dias 04 e 18 de abril e 02,16 e 30 de maio, no Sindicato dos Engenheiros do Estado de Santa Catarina (SENGE-SC), à rua Júlio Moura, nº 30, no Centro, e nos dias 05 e 19 de abril e 03 e 17 de maio no Plenarinho da Câmara de Vereadores de Florianópolis. Já as plenárias para votação das novas metas a serem estabelecidas acontecerão nos dias 06 e 07 de junho, no Centro de Eventos Luiz Henrique da Silveira (Centro de Convenções de Canasvieiras), situado à Rodovia SC-401, km 01, s/nº, em Canasvieiras. Serão realizadas em evento paralelo ao II Congresso Catarinense de Saneamento (Concasan). Terão direito a votar os delegados que são constituídos pelos membros do Conselho Municipal de Saneamento Básico e pelos cidadãos que participarem do processo. “É um momento importante para que o cidadão que quer contribuir com os avanços do saneamento básico de Florianópolis tenha espaço para atuar”, observa o superintendente.