A ação rápida por parte do Iddasi (Instituto de Defesa dos Animais de Siderópolis) preservou a vida de seis animais de rua. Uma cachorra em fase final de gestação, após histórico de violência por parte da comunidade, passou por complicações. Uma cesariana foi necessária para salvar a vida do animal. De seus dez filhotes, cinco sobreviveram. Nesta quarta-feira (8/4) o animal voltou a ter atendimento veterinário e necessita de uma nova cirurgia. Agora, o Instituto busca auxílio para mantê-los.

Divulgação

O animal foi abandonado há duas semanas, na localidade Alto Rio Maina. Diante da rejeição de alguns moradores, uma voluntária independente da iniciativa o acolheu e recebeu auxílio do Iddasi para preservar a qualidade de vida da Nega, como foi batizada a cadela. "Um acompanhamento foi realizado. Logo depois do acolhimento ela demonstrou sinais de abalo e um contato com a clínica Conexão Animal, parceira do Instituto, foi realizado. A situação que se apresentou foi um trabalho de parto e complicações", explicou a voluntária Jessica Destro.

A atuação foi rápida, por parte do Instituto e da veterinária responsável, salvando a vida da cachorra e seus filhotes, que seguem em observação. No momento, a mãe passa por consultas regulares para tratar os últimos vestígios da violência, já seus filhotes ainda passam por dificuldades.

Campanha de conscientização e auxílio

O Instituto de Defesa dos Animais de Siderópolis é mantido por voluntários, sem ajuda financeira de prefeituras ou outras organizações. Apesar disso, tem grande aceitação da comunidade local e recebe incentivos dos moradores de Siderópolis. "A clínica Conexão Animal é um exemplo de grande parceira. Os custos de um procedimento como o deste caso certamente seria até cinco vezes maior do que foi cobrado", explicou Jéssica.

Ainda assim, o Iddasi pede auxílio para cobrir os custos do tratamento e seguir preservando a vida dos animais. Os interessados em ajudar devem acessar o perfil @Iddasi.sideropolis no Instagram.