O dia 10 de novembro é o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Surdez, data dedicada à luta pela educação, conscientização e prevenção para os problemas advindos da surdez, junto à população brasileira, que tem, aproximadamente, 5,8 milhões de pessoas com algum grau de surdez.

No Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago (HU-UFSC), um dos primeiros cuidados que o recém-nascido recebe é o teste da orelhinha (triagem auditiva neonatal), um exame feito para detectar se o recém-nascido tem algum problema de audição.

 

Trabalho preventivo

A importância da realização dessa triagem é que ela é uma forma de proteger e impedir que a criança sofra os efeitos provocados pela deficiência auditiva no desenvolvimento da linguagem. A prevalência da deficiência auditiva é 20 vezes maior que outras doenças, como a fenilcetonúria (diagnosticado pelo teste do pezinho) ou hipotireoidismo, e seu custo dez vezes menor que para outras doenças.

Dependendo do resultado da triagem auditiva neonatal nas duas avaliações preconizadas pelo Ministério da Saúde (Emissões Otoacústicas Transientes e Potencial Evocado Auditivo de Tronco Encefálico), o bebê é encaminhado para realizar o diagnóstico em um dos Serviços Ambulatoriais de Saúde Auditiva (SASA) habilitados do Estado. O encaminhamento entregue à família deve ser levado na Policlínica central de seu município, no caso da Grande Florianópolis.

 

 

Hospital habilitado

Em Santa Catarina, somente o HU é habilitado para realização desse procedimento pelo SUS desde 2011. Após a avaliação com a equipe multidisciplinar (médico otorrino, fonoaudiólogo, assistente social e psicólogo), análise de exames de imagem e laboratoriais e vacinas, o médico faz ou não a indicação para a cirurgia de implante coclear e o paciente entra em uma fila administrada pela Secretaria Estadual de Saúde de Santa Catarina.

O HU realiza três cirurgias por mês, uma bilateral e uma unilateral. Crianças de até três anos e 11 meses na data da cirurgia e casos de meningite recente têm prioridade. Desde que o HU foi habilitado, 204 pacientes fizeram a cirurgia de implante coclear, sendo um total de 247 cirurgias realizadas.
Ainda sobre saúde auditiva e próteses auditivas indicadas para a reabilitação auditiva, em 2018 o HU recebeu um recredenciamento para a Portaria 2.161 de 18 de dezembro de 2014 e passou a fazer a indicação de Próteses Auditivas Ancoradas no Osso.

Saiba mais

Surdez é o nome dado à impossibilidade ou dificuldade de ouvir. A audição é constituída por um sistema de canais que conduz o som até o ouvido interno, onde essas ondas são transformadas em estímulos elétricos e enviadas ao cérebro, órgão responsável pelo reconhecimento daquilo que se ouve.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp