O Hospital Municipal São José foi o hospital de Santa Catarina que obteve o maior número de doadores efetivos de órgãos em Santa Catarina em 2017. Por esse motivo, a unidade receberá uma homenagem durante Sessão Especial da Assembleia Legislativa que destacará o Sistema Estadual de Transplantes de Santa Catarina. A sessão ocorrerá em Florianópolis (no plenário Deputado Osni Régis), às 19 horas, nesta quarta-feira (11). Quer receber as notícias do Jornal de Joinville no WhatsApp? Clique aqui A captação de órgãos no Hospital São José é feita pela Comissão Hospitalar de Transplante (CHT), composta por cinco enfermeiros e uma médica.  O grupo trabalha 24 horas por dia para levar a oportunidade do transplante aos pacientes em lista de espera. Dos 42 protocolos de morte encefálica abertos no ano passado, 27 (61,4%) tiveram a cirurgia para a retirada dos orgãos e as doações efetivadas.  Os órgãos captados são coração, pulmão, pâncreas, fígados, rins e córneas.  De acordo com o protocolo, os órgãos são destinados à Central de Estadual de Transplantes, que gerencia a captação no Estado. O trabalho da Comissão Hospitalar de Transplantes do HMSJ é considerado referência no Estado e no Brasil. O enfermeiro Ivonei Bittencourt, coordenador da Comissão, diz que essa situação deve-se à longa experiência dos componentes do grupo, que atuam há mais de 10 anos neste processo, à constante capacitação dos profissionais “e ao altruísmo e empatia das famílias catarinenses que mesmo no momento de dor pensam no próximo”. A comissão atua desde 1995. Só em 2017 mais de 140 pacientes foram beneficiados com o transplante de órgãos captados no São José. Ivonei Bittencourt ressalta a importância de as pessoas manifestarem a seus familiares o desejo de doarem seus órgãos. “É a família que vai autorizar a doação”, reforça. O coordenador da Comissão conta que cada processo de doação tem uma história, misturada com emoções e renascimento. Ele recorda de uma senhora que chorava bastante a morte do marido e era consolada carinhosamente pelos filhos. Depois de ressaltar as qualidades do marido, ela autorizou a doação, mas fez um pedido: “Podem levar tudo. Que todos os órgãos dele vivam em outras pessoas que precisam. Só não tirem o coração, por favor. Esse coração que me amou por 20 anos deve ficar com ele". *Com informações da assessoria de imprensa