Os únicos dez leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Araranguá estão todos ocupados por pacientes com a Covid-19.

Dos outros seis leitos criados por orientação do Governo do Estado, também destinados a hospitalizados por coronavírus, cinco deles também já estão ocupados.

A informação foi repassada pelo diretor-geral do Instituto Maria Schmitt (IMAS), Ricardo Ghelere, que administra a unidade, nesta quinta-feira.

"Queremos tranquilizar a população, pois apesar da ocupação, o sistema de regulação do Estado tem funcionado. Caso se chegar mais pacientes graves, seja de Covid-19, ou de outra enfermidade, o sistema buscará automaticamente uma vaga mais próxima de UTI e esse paciente será transferido", explicou.

A unidade mais próxima é o Hospital São José, em Criciúma.

Segundo Informe Epidemiológico, em Criciúma, entre suspeitos e confirmados, há 18 hospitalizados, nove em UTI's, nas unidades de saúde da cidade.

"Assusta um pouco a ideia de que não existem leitos disponíveis no Hospital Regional, mas para nós, que estamos na gestão da unidade há mais de um ano e meio, esse número é bem comum, já que a região da Amesc possui 200 mil habitantes, para até então dez leitos, o que sabidamente são poucos perante a uma população tão grande”, exemplificou.