Os pais e familiares que buscaram atendimento médico para as crianças nas noites desta segunda e terça-feira (13) precisaram de ter uma dose extra de paciência. As duas unidades que prestam este serviço especializado em Joinville, o Pronto Atendimento Leste, e o Hospital Infantil, estavam completamente lotados. Em alguns casos, a demora para conseguir passar pelo médico era de mais de cinco horas. Foi o que aconteceu com o filho do autônomo Alexandre Ricardo Itá, 26 anos. Nesta terça-feira, uma série de manchas avermelhadas surgiram na pele do menino de cinco anos. “Ficamos preocupados e decidimos buscar ajuda médica no Hospital Infantil. Chegamos por volta das 19h30. A emergência da unidade estava completamente lotada. O que vimos foram pais irritados e foi preciso que o médico plantonista deixasse o consultório para acalmá-los na recepção do pronto-socorro”, comenta o profissional autônomo. Veja o vídeo no qual o médico pede paciência aos pais https://youtu.be/3w-aJ17TDyA Conforme Alexandre Ricardo Itá, o filho passou pelo procedimento de triagem pouco depois das 21h e foi atendido e medicado próximo da meia-noite. “O serviço aqui sempre é muito bom, mas, desta vez, demorou muito. Tinha muita gente, e pelo o que nos foi passado, apenas três médicos: um clinico geral, um dermatologista e um ortopedista. Isso deixa o atendimento um pouco mais lento, e os médicos sobrecarregados”, lamentou o profissional autônomo. Nesta quarta-feira (14), o filho dele se recuperava bem, já em casa. Ricardo mora no bairro Vila Nova e nem quis saber de ir ao Pronto Atendimento Leste. “Preferimos vir ao Infantil, por conta do melhor atendimento. O PA Leste, único local em que há pediatria, sempre está superlotado”, finaliza. Contraponto | O que diz o Hospital Infantil A assessoria de imprensa do Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante Faria informou que na segunda e terça-feira (13) a unidade registrou um aumento de mais de 65% na procura por atendimento no pronto-socorro. Diariamente a unidade registra uma média de 200 consultas de emergência. Nesta terça foram mais de 300. A maior demanda é de casos clínicos. De acordo com a unidade de saúde, o quadro médico era normal no pronto-socorro nesta segunda e terça-feira, com três pediatras clínicos gerais, um cirurgião pediatra e um ortopedista pediatra. O hospital também relatou que não tem conhecimento da falta de pediatras nos prontos atendimentos do município. A informação foi confirmada pela Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Joinville.