Hortelã, alecrim, erva-doce e camomila são algumas das centenas de plantas, que além de deixar os jardins mais bonitos e servir para fins alimentícios, possuem muitas propriedades medicinais. Pensando nisso, a Secretaria Municipal de Saúde de Jaraguá do Sul iniciou um projeto para incentivar a população a fazer uso de chás de algumas plantas.

A primeira horta neste estilo nasceu da iniciativa de agentes comunitários do posto de saúde do bairro João Pessoa, que realizaram o plantio das mudas embelezando-as com pneus coloridos que seriam descartados.

A enfermeira da unidade Andreia Xavier Costa Barros, avalia como a iniciativa como positiva e garante que as práticas naturais estão ganhando força no Sistema Único de Saúde (SUS). "Começamos há pouco tempo, mas esta ação é muito importante e serve de exemplo para outras unidades", acredita. "Os pacientes que se consultam aqui se sentem inspirados a começar uma horta na própria residência", comemora.

Foram plantadas na unidade mudas de losna, funcho, alcachofra, hortelã, alecrim e erva-doce, camomila, melissa e sávia. De acordo com a farmacêutica Katrin Grützmacher, uma horta no mesmo modelo também foi implantada na prefeitura do município.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

A horta fitoterápica no João Pessoa foi plantada, além de Katrin e Raquel, pelas agentes comunitárias  Beatriz Oliscovicz, Ivone Junges, Lenice Sebastião, Luci Voigt, Sirlei Freenzel e Tatiane dos Santos.

Segundo ela, a novidade deve se tornar realidade em outros ambientes públicos.  "Há um projeto para que o Presídio Regional seja beneficiado com uma horta, mas sem data definida", afirma.

"Estamos iniciando atualmente uma horta no bairro Rio Molha em forma de mandala e temos projetos de levar o plantio para os bairros Santa Luzia e Rio da Luz", explica Katrin Grützmacher.

Segundo a farmacêutica, algumas mudas são doadas pela comunidade e outras são compradas pela Administração. "Na medida em que as unidades de saúde se interessam, ajudamos com todas as orientações para fazer o plantio de forma correta", afirma a farmacêutica.

Benefícios do plantio

Conforme Katrin, quem tiver interesse em realizar o plantio de plantas medicinais, pode procurar orientações sobre o cultivo e o uso correto das mesmas com os Agentes Comunitários de Saúde, que passaram por capacitação em plantas medicinais no mês de abril deste ano.

"As plantas medicinais têm menos efeitos adversos dos medicamentos industrializados. O custo é muito acessível", explica. "Outro benefício é a capacidade de uma mesma planta medicinal tratar de diferentes doenças ou sintomas. O gengibre e a hortelã que podem ser administrados na forma de chá para tratar tanto afecções respiratórias, quanto problemas digestivos”, explica Grützmacher.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito: 

WhatsApp  

Telegram  

Facebook Messenger