O caso de racismo aconteceu no Centro de Referência em Assistência Social em Ilhéus, na Bahia. Um homem, que ainda não foi identificado, se recusou a tomar a vacina do Covid-19 porque a profissional de enfermagem que aplicaria a dose era negra.

A estudante de enfermagem, Thaís Carvalho, que foi a vítima de racismo, disse que o homem esperava do lado de fora da unidade, assim como as outras pessoas e quando Thaís chegou para perguntar se ele queira tomar a vacina, recebeu um não como resposta.

“Mas o filho dele fazia a ficha para ele receber a vacina. Então me abaixei para ficar na altura dele [homem era cadeirante] e perguntei por que ele não queria ser vacinado. Ele me disse: ‘Você é negra’. Fiquei sem reação e saí”, disse a estudante.

Foto: Divulgação

Thaís afirmou que ainda não tem palavras para descrever o que aconteceu e pretende dar queixa na delegacia local, mas acredita que seja muito difícil encontrar o homem.

"Eu já tinha passado por outras situações de racismo na vida, com olhares preconceituosos, mas nada parecido com isso", afirmou Thaís. "Eu não acreditei nas coisas que ouvi. Ele se recusou a ser vacinado por mim, porque sou negra. Isso tirou o meu chão, eu fiquei em estado de choque", concluiu

Nota da prefeitura:

A Prefeitura de Ilhéus divulgou uma nota de repúdio, em que o prefeito Mário Alexandre (PSD) afirma que ações racistas devem ser repudiadas e combatidas por todas as pessoas.

"Deixo a minha solidariedade a Thaís. Atitudes como essa são inaceitáveis em um país cuja maioria da população é autodeclarada negra", comentou.

"Infelizmente, ainda nos deparamos com comportamentos mesquinhos, que humilham as pessoas. Mas não vamos parar de lutar por uma sociedade justa e igualitária, combatendo qualquer tipo de violência e crimes de ódio e discriminação."

"A prefeitura continuará empenhada para combater a discriminação, a intolerância e o preconceito racial em todas as esferas sociais". afirma a prefeitura.