Um homem foi até a delegacia de polícia na última quinta-feira (21) para registrar um boletim de ocorrência por um caso inusitado no Mato Grosso do Sul. Ele foi até a polícia após ter sido removido de um grupo do WhatsApp.

A polícia relatou, em reportagem do G1, que o homem de 39 anos prestou uma queixa após ser removido do grupo por possuir opiniões diferentes de uma das administradoras do grupo.

O grupo é de um sindicato de técnico de nível superior de uma universidade pública. Ele contou que, na terça-feira (19), ocorreu uma discussão sobre um posicionamento da categoria, e ele foi retirado do grupo após discordar da presidente.

Após o ocorrido, ele registrou um boletim de ocorrência como preservação de direito por entender que, por fazer parte do sindicato, tem a necessidade de fazer parte do grupo oficial.

Boletins de ocorrência como esses não são de caráter criminal e servem apenas para registrar um "fato atípico". O caso foi registrado na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário de Dourados.