Sozinho, mas nunca solitário, o corupaense Gunther Raeder, 83 anos, faz do cultivo das orquídeas a sua razão de viver. Ele se orgulha em contar que iniciou a coleção de cerca de 20 mil plantas e mais de 500 flores a partir de 20 unidades que recebeu de legado da família, em 1941. Nascido e criado em Corupá, até hoje vive na propriedade comprada pelo avô em 1900, no Bairro Centenário, onde destina parte da área herdada para fazer germinar as mais variadas e belas espécies. O cuidado permanente e o amor que dedica às plantas exóticas no Orquidário do Gunther se torna um atrativo aos visitantes, não somente da cidade, mas também para turistas de outros estados. A “romaria” para conhecer e comprar os vasos acontece principalmente durante a primavera, quando as flores desabrocham e enchem os olhos com suas nuances multicoloridas. No espaço onde está instalado o pequeno rancho de madeira, tudo remete ao passado. Além dos insumos, ferramentas e utensílios usados para manter o jardim limpo e organizado, um cartaz antigo e um exemplar da revista “Quick” dos anos de 1950 compõem o universo vintage do carismático orquidófilo. “Agora estão todas em botão”, diz ele enquanto circula em meio aos canteiros, conferindo os vasos um a um. O carinho e a sensibilidade com que suas mãos tocam os caules, as folhas e as flores são visíveis, principalmente quando mostra o aroma suave que exalam. Gunther faz mistério em relação a uma experiência, digamos, “botânica”, que está em andamento. “Estou lançando um produto que não vai ter dois vasos com a mesma cor”, afirma, com o olhar vivaz e o sorriso maroto. O processo está embrionário e ele garante que só vai revelar a técnica que está adotando para os que forem pessoalmente visitá-lo e conhecer as suas preciosas flores, que ele trata como joias. A divulgação do orquidário é feita em discretos cartões de visita coloridos, com nome, telefone e fotos de algumas das espécies mais procuradas. Além das excursões aos finais de semana, o local costuma ser procurado pelos que querem presentear em datas especiais. Bem humorado, Gunther confidencia, baixando a voz e sem citar nomes, situações pitorescas relacionadas a presentes. “Tive um cliente que comprou três orquídeas para presentear no Dia dos Namorados, e outro que todo ano vem aqui e traz a namorada para escolher uma orquídea, mas sempre é uma mulher diferente”. Os preços são convidativos, “abaixo de R$ 20”. Para os que querem vasos com a planta, o valor médio é R$ 40. Produtor rural aposentado, Gunther tem uma jornada de trabalho que começa cedo, acordado pelos passarinhos. Ele permanece às voltas com as tarefas do orquidário do amanhecer até o por do sol. Em pleno século 21, ele mantém hábitos mais tradicionais, como ler jornais, revistas, ouvir rádio e assistir televisão. O “Mr. Google sabe-tudo” não faz parte de seu universo. “Não tenho internet, nem quero. Tenho um amigo de Jaraguá do Sul que pesquisa espécies novas e encomenda para mim”, esclarece. Periodicamente é visitado pelos amigos que o auxiliam em algumas atividades do orquidário. “Esse orquidário é a melhor coisa que tenho na vida. O pessoal vem aqui para conhecer, tirar mudas. Estou aqui de segunda a segunda. Daqui a um mês, tudo isso aqui vai ficar florido, aí não tem lugar para estacionar. Tem gente que vem até para fazer piquenique”, conta. “Não me sinto sozinho, sempre estou com alguém. Nasci e me criei aqui”, declara, com orgulho, enquanto se despede sorridente e com brilho no olhar.