Os trabalhadores da prefeitura de Florianópolis aprovaram a deflagração de greve por tempo indeterminado contra o retorno das atividades presenciais na educação a partir desta quarta-feira (24), quando está prevista a volta às aulas, em função do agravamento do quadro da Covid-19 na Capital.

O retorno das aulas presenciais já havia sido adiado no dia 3 de março para esta quarta-feira, também em função da grave situação do contágio na região. Na data, a ideia da secretaria municipal da Educação era diminuir a circulação de pessoas nas ruas e no transporte coletivo. Desde então as aulas da rede municipal estão acontecendo de maneira virtual.

A prefeitura distribuiu chips de internet com 20GB mensais para todos os alunos e professores que compõem as escolas municipais de Florianópolis.

Conforme o Sintrasem, o sindicato dos servidores municipais da Capital, a decisão de deflagrar a greve está escorada no cenário atual de contágio da Covid-19, classificado como “caos”.

“Centenas de pessoas em estado crítico aguardam uma vaga na UTI, enquanto outras centenas morrem todas as semanas – números que só aumentam conforme a pandemia avança sem controle pelo Brasil”, diz a postagem no site do Sintrasem. “Retomar as aulas presenciais neste cenário de colapso é botar não somente as crianças em perigo, mas também seus familiares e todos que trabalham nas escolas”, completa.