Esta sexta-feira (27) será de negociações entre o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal e a Prefeitura Municipal de Florianópolis. Após ignorar as tentativas de conversa do Sintrasem sobre o projeto "Creche e Saúde Já" _ que conquistou maioria de votos na Câmara Municipal e foi sancionado na noite de quarta-feira (25) _, o prefeito Gean Loureiro finalmente senta para negociar aquela que era a primeira pauta de reivindicações da categoria - a data-base 2018. É que mesmo perdendo a batalha contra o projeto que permite a terceirização dos serviços de saúde e educação, o sindicato não recuou e conseguiu manter a paralisação dos servidores, que completa 16 dias nesta sexta-feira. Como não teve sucesso nas tentativas de interromper o movimento para abrir a mesa de negociações, o governo Municipal teve de ceder. A reunião entre o Sintrasem e o Executivo começou às 14h de quinta-feira (26) e continua nesta sexta. As partes precisam avaliar 35 cláusulas que incluem reposição do índice inflacionário, correções de tabelas salariais, planos de carreira, benefícios, promoções e gratificações. Outra assembleia deve ocorrer durante a tarde na Praça Tancredo Neves. Além das demandas salariais, a pauta do sindicato aprovada em assembleia solicita a chamada de trabalhadores aprovados em concursos públicos e a realização de novos concursos para preencher vagas em aberto. O fim das privatizações também é uma das requisições da classe. No entanto, as duas solicitações devem ser as mais ignoradas pelo Executivo, uma vez que a lei "Creche e Saúde Já" foi criada com a justificativa de que não há dinheiro em caixa para chamar novos concursados e que, na avaliação do governo, entregar a gestão para Organizações Sociais é a solução da qual dispõe. A pauta dos trabalhadores também reivindica melhores condições de trabalho, saúde e segurança; resoluções envolvendo a previdência; reposição de direitos que envolvem horas extras e licenças; readequação de cargos e correção de desvios de função. Questões correspondentes aos serviços de assistência social e educação completam a pauta. Em uma carta entregue ao Sintrasem na quinta-feira, a Prefeitura aceitou abrir a mesa de conversa com a proposta de que as discussões encerrem na próxima segunda-feira. “Caso as discussões na terminem até o dia 30 de abril, o sindicato se compromete a sugerir uma suspensão da greve em assembleia da categoria, na segunda-feira, até que finalize as discussões da data-base 2018”, sugeriu o Executivo. O Sintraturb, sindicato que representa os trabalhadores do transporte público, promete acompanhar as negociações e aderir ao movimento dependendo do resultado. Uma amostra da união foi dada na noite de quarta, quando os coletivos paralisaram por algumas horas. LEIA MAIS Após sancionar lei que desencadeou greve, Prefeitura começa a negociar Prefeito sanciona lei enquanto servidores protestam pelas ruas de Florianópolis Creche e Saúde Já segue para prefeitura de Florianópolis com alterações Sintraturb adere à greve e promete parar transporte coletivo em Florianópolis Creche e Saúde Já segue para prefeitura de Florianópolis com alterações Servidores de Florianópolis decidem manter a greve Tumulto, bombas e spray de pimenta marcam sessão de sábado TJSC mantém decisão e determina que servidores voltem ao trabalho Creche e Saúde Já será votado neste sábado em Florianópolis Juiz indefere pedido de Mandado de Segurança de vereadores de Florianópolis MP recomenda suspensão de propaganda da prefeitura de Florianópolis Vídeo mostra bate boca entre vereadores na Câmara de Florianópolis Vereadores trocam acusações na Câmara de Florianópolis TJSC determina que servidores retomem serviços essenciais Projeto polêmico da Prefeitura pode ser aprovado nesta sexta-feira Servidores municipais entram em greve em Florianópolis Comcap adere à greve