O estado australiano da Austrália Meridional está implementando um dos programas de quarentena mais rigososos do mundo, segundo informações da ABC e da revista americana The Atlantic.

Dentro do programa, cidadãos que retornem ao estado vindo de outros territórios australianos ou do exterior terão que instalar um app desenvolvido pelo governo local, para monitorar sua estadia em casa.

O aplicativo usa de geolocalização e reconhecimento facial para monitorar a quarentena. Em períodos aleatórios, o app contatará os usuários, exigindo prova de sua localização dentro de 15 minutos. Caso o usuário não responda ao pedido dentro de 15 minutos, o departamento de saúde notificará a polícia para uma inspeção doméstica.

Viajantes terão que ficar de quarentena por 14 dias. O programa piloto pode vir a ser ampliado para outros estados.

Segundo o governo da Austrália Meridional, o app, desenvolvido pelo governo do estado em parceria com a GenVis, não mantém dados pessoais e o governo não armazenará os dados de localização do aplicativo. "Só estamos usando ele para verificar se as pessoas estão em quarentena doméstica", disse o primeiro-ministro da Austrália Meridional, Steven Marshall.

O programa está sendo testado com cerca de 50 pessoas no momento. Marshall espera que a estratégia passe a ser o padrão para monitoramento de quarentena na Austrália.

Em paralelo ao lançamento do app na Austrália Meridional, outro estado australiano encara um dos lockdowns mais rijos do globo.

Em Nova Gales do Sul, cidadãos estão proibidos de sair de casa, salvo para atividades essenciais, e o governo local fez uso do exército para implementar as medidas de restrição que já duram mais de dois meses. As medidas foram implementadas após 9 mortes confirmadas pela variante Delta do vírus.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp