O Governo de Santa Catarina recebeu, neste sábado (8), nova remessa com mais 55,8 mil doses da vacina Coronavac.

As doses chegaram ao aeroporto de Florianópolis por volta das 10h e foram encaminhadas para a Central Estadual de Rede de Frio para a organização da logística de distribuição.

Depois, as vacinas serão enviadas para as 17 Unidades Descentralizadas de Vigilância Epidemiológica das Regionais de Saúde de Santa Catarina.

A distribuição das doses começa ainda neste sábado, no início da tarde.

“Com esta nova remessa de doses da Coronavac será possível completar o esquema vacinal de todas as pessoas que já tomaram a dose um e ainda não receberam a dose dois”, esclarece João Augusto Brancher Fuck, diretor da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina.

As vacinas começam a ser distribuídas às 13h via aérea e terrestre. O avião do Corpo de Bombeiros Militar levará as doses para as centrais regionais de São Miguel do Oeste, Chapecó, Xanxerê, Concórdia e Joaçaba.

O avião da Polícia Militar distribuirá as doses para as centrais de Mafra, Lages e Videira.

As doses para Rio do Sul, Grande Florianópolis, Joinville, Jaraguá do Sul, Tubarão, Criciúma, Araranguá, Blumenau e Itajaí serão encaminhadas via terrestre.

A previsão é que todas as doses cheguem às 17 UDVEs ainda neste sábado.

Neste primeiro momento, serão encaminhadas aos municípios catarinenses 47.230 doses da vacina do laboratório Sinovac/Butantan, exclusivamente, para aplicação da segunda dose.

Este número de doses, segundo levantamento realizado com os próprios municípios, é suficiente para que todos consigam completar o esquema vacinal das pessoas que já receberam a primeira dose.

Com mais essa remessa, o estado soma um total de 2.524.790 doses recebidas entre os fabricantes Sinovac/Butantan (1.442.640), AstraZeneca/Fiocruz (1.064.600) e Pfizer (17.550).

Novas doses da Pfizer

O estado deve receber, a partir de segunda-feira (10), nova remessa com mais 39.780 doses da vacina Pfizer. Esta vacina será utilizada para dar continuidade à aplicação de doses no grupo prioritário de pessoas com comorbidades, deficiências permanentes, gestantes e puérperas.

O estado ainda aguarda a confirmação do Ministério da Saúde sobre a data exata de chegada.