O governador Carlos Moisés autorizou concurso público para 70 vagas do cargo de auxiliar de Medicina Legal do Instituto Geral de Perícias de Santa Catarina (IGP). Os novos servidores atuarão nas 28 unidades do Instituto Médico Legal (IML) existentes no estado.

Desde 2010 o IGP não realiza um concurso para repor o quadro de auxiliares de medicina legal. A autorização para esse concurso é a maior da história da carreira e dará amplo apoio aos servidores do setor, além de otimizar o atendimento em todas as unidades do IGP.

Os auxiliares de medicina legal são responsáveis pela operacionalização dos atendimentos em ocorrências com vítimas fatais e trabalham no apoio às necropsias. Além disso, recebem familiares para identificação das vítimas, entre outras funções importantes para o IGP e a população. Para que se tenha ideia do volume de trabalho, nos últimos dois anos o IML de Santa Catarina fez mais de 98 mil exames.

As medidas implementadas pelo Governo do Estado estão permitindo fazer novos concursos públicos e compor o efetivo de áreas importantes. Além deste histórico para o IGP, o Estado chamou servidores para áreas estratégicas como a Segurança Pública, Educação e Fazenda.

“O nosso compromisso é o de fazer a boa gestão dos recursos públicos, empregar o dinheiro no que realmente importa para Santa Catarina e garantir serviços de qualidade para os catarinenses”, destaca o governador Carlos Moisés.

Conforme o perito-geral do IGP, Giovani Eduardo Adriano, a partir de agora o Instituto dedicará seus esforços à preparação do edital, que será lançado o mais rápido possível.

“Este é um dia inesquecível na nossa história e quem trabalha no IGP sabe o significado deste concurso e a importância do auxiliar de medicina-legal. Agradecemos ao Governo do Estado pela sensibilidade em atender a esta reivindicação tão necessária”, enfatiza.