A necessidade de desassoreamento do canal da Barra do Camacho, em Jaguaruna, foi constatada de perto pela governadora Daniela Reinehr nesta quinta-feira. A chefe do Executivo estadual garante que o Governo do Estado buscará fontes de recursos para atender as demandas emergenciais e contínuas do local.

O objetivo é solucionar a situação do assoreamento que prejudica a pesca, responsável pela subsistência de milhares de famílias, bem como a preservação do meio ambiente. Ainda nesta semana, o Governo Federal se comprometeu a enviar R$ 1,5 milhão para a dragagem da barra.

Na manhã desta quinta-feira, a governadora também realizou visita técnica ao Porto Pesqueiro e aos Molhes da Praia da Barra, de Laguna.

“Vamos focar nossos esforços para atender essas demandas. Reconhecemos a necessidade emergencial e a oportunidade de unir esforços para planejar um futuro adequado e condizente com o potencial da região. Atuamos para resgatar a capacidade do nosso povo de trabalhar e para que as regiões se desenvolvam. Precisamos lançar o olhar sobre a infraestrutura de Santa Catarina”, disse Daniela Reinehr.

O roteiro para Jaguaruna e Laguna ocorreu após reunião de trabalho com autoridades realizada na última terça-feira, 20, em Florianópolis. Na ocasião, a Associação de Municípios da Região de Laguna (Amurel) apresentou um projeto de engenharia para desassoreamento da Barra do Camacho. A obra está orçada em R$ 4,6 milhões.

A governadora informou que o projeto proposto pela Amurel será analisado pela Secretaria de Estado da Infraestrutura, juntamente com a força-tarefa que inclui Defesa Civil e Secretaria da Agricultura e Pesca, entre outros órgãos, para que sejam feitas as adequações necessárias.

“O compromisso é para que a obra do Camacho seja concluída o mais breve possível e com isso melhorar a atividade econômica, pesqueira e a segurança das pessoas”.

Acompanharam a governadora os secretários de Articulação Nacional, Jorge Davi Agostinho da Silva; Infraestrutura e Mobilidade, Leodegar da Cunha Tiscoski; o chefe da Casa Militar, Alessandro Marques; o adjunto da Agricultura, Ricardo Miotto, e o diretor institucional Cidasc, Marcos Roberto Pacheco. Além dos deputados federais Geovania de Sá e Daniel Freitas; deputados estaduais Felipe Estevão e Volnei Weber; prefeitos de Laguna, Samir Ahmad; de Jaguaruna, Laerte Silva; de Tubarão, Joares Ponticelli, além de outras autoridades.

Daniela Reinehr reforçou a importância da atuação de senadores, deputados federais e estaduais, juntamente com os municípios.

“São demandas históricas e essa união de esforços fortalece a implementação das ações”, destacou.

Importância do desassoreamento para comunidade

Alex Sander Vargas, 41 anos, é de uma família de pescadores. Ele, a irmã Alexandra e a mãe, Lucilene, receberam com esperança a visita da governadora na região.

Alex Vargas explica que obra irá auxiliar pescadores da região

“Era para estarmos com os ranchos cheios. Hoje de manhã colocamos a rede e pegamos 10 quilos. É pouco. A nossa lagoa está morrendo. Enquanto isso, os nossos boletos vão atrasando, a gente vai cortando daqui e dali. É muito triste”, contou

O presidente da Associação de Pescadores de Garopaba do Sul, Jaime Mariano Porto, ressaltou que é muito importante a presença da governadora no local.

“Precisamos que as obras sejam feitas para a garantia dos nossos serviços e o sustento de nossas famílias”.

Laguna

No começo da manhã, a governadora realizou visita técnica ao Terminal Pesqueiro que, desde 2019, é administrado pela SCPar. Em 2020, foram descarregadas no Porto 6,2 mil toneladas de pescado e 283 embarcações foram atendidas.

O local conta com um cais de 300 metros de extensão e três esteiras de recepção de pescados, podendo atracar até 10 embarcações por vez. Na sequência, a chefe do executivo verificou in loco a situação atual dos molhes da Praia da Barra.

Fotos: Foto: Julio Cavalheiro / Secom

“A demanda de Laguna para o desassoreamento do canal da Barra será inserida na pauta da minha próxima visita a Brasília, na semana que vem, junto ao Ministério do Desenvolvimento Regional, em conjunto com a nossa Secretaria de Articulação Nacional. Além disso, o Porto Pesqueiro e outras obras de infraestrutura de Santa Catarina também precisam ser incluídos no Plano Nacional de Logística. Nossa meta é fazer parte desse plano e vamos trabalhar muito para que isso aconteça”, reforçou a governadora.