A Universidade Regional de Blumenau, como espaço plural, democrático, de discussão de ideias e construção de conhecimentos não admite atos de discriminação e racismo, e acredita que os mesmos devam ser punidos com o rigor da lei. Para tanto, também dispõem de regulamentos próprios que permitem investigar, avaliar e responsabilizar eventuais infratores, e lançará mão de todos os recursos disponíveis a fim de coibir atos de racismo em seus campi.

Trabalhamos em ações contra o preconceito racial por meio de grupos de pesquisa, projetos de extensão e atividades de ensino. Valorizamos profundamente o conceito de igualdade, traduzido em 2010, pela Lei nº 12.288, o Estatuto da Igualdade Racial, legislação que visa garantir que a população negra tenha seus direitos assegurados efetivamente e prevê a defesa dos diretos étnicos e o combate à discriminação e à intolerância étnica. Adicionalmente, somos a única universidade do sul do Brasil envolvida na Cátedra UNESCO, Educação Superior e Povos Indígenas e Afrodescendentes na América Latina, que visa a realização de ações de enfrentamento junto à comunidade acadêmica sobre questões raciais.

Na noite da última segunda-feira (03), ocorreu um fato lamentável em sala de aula entre estudantes. No entendimento de sua responsabilidade comunitária, a FURB prontamente iniciou um processo de sindicância para apuração interna do caso que objetiva a plena investigação dos fatos. O resultado da sindicância permitirá que ações sejam tomadas no âmbito interno.

A Universidade de Blumenau, hoje e sempre, adotará todas as medidas necessárias na luta contra todos os tipos de preconceito. A FURB manifesta seu repúdio ao preconceito e ao racismo. Uma vez mais, destaca-se que não mediremos esforços na devida investigação e devida aplicação de penalidades.

Receba as notícias de Blumenau e região pelo WhatsApp clicando aqui.