A assistente de saúde, Ayesha Basharat, de 23 anos, foi condenada por ter usado o cartão de uma mulher de 83 anos, logo após a dona do cartão ter morrido por Covid-19.

Segundo as autoridades, 17 minutos após a morte da paciente, a funcionária comprou refrigerante, doces e batatas fritas.

Ela usou o touch pad em uma máquina de vendas no hospital para fazer seis compras de 1 libram, equivalente a R$ 7,14. A funcionária fez outra compra com o mesmo valor naquela noite antes de tentar usar o cartão novamente. De acordo com a polícia, quando Ayesha voltou ao trabalho quatro dias depois, o cartão já havia sido cancelado.

No primeiro momento a funcionária contou que encontrou o cartão no chão e acabou se confundido achando que era o dela. Porém, só admitiu o roubo na quarta-feira, dia 9 de junho e foi condenada a duas penas de prisão de cinco meses que vão ocorrer simultaneamente, ambas suspensas por 18 meses.

Foto: Reprodução Daily Mail

Segundo relatos colhidos pelo Daily Mail, Ayesha se recusou a pedir desculpas à família da aposentada quando confrontada sobre o ocorrido.

"Não quero falar sobre isso. Não tenho nada a dizer", teria dito a funcionária.

A funcionária não respondeu quando lhe perguntaram por que usou o cartão do banco e se recusou a responder quando questionada se estava chateada com a possibilidade de perder o emprego.

O University Hospitals Birmingham NHS Foundation Trust, que administra o Heartlands Hospital, disse que Ayesha foi suspensa de sua função quando foram informados do incidente.

"Ayesha Basharat foi imediatamente suspensa quando este incidente veio à tona e todas as medidas foram tomadas para apoiar a família do paciente", disse um porta-voz do hospital.

A instituição apoiou totalmente a polícia em sua investigação e, como resultado da condenação de Basharat, o hospital agora prosseguirá com nossos processos internos no departamento de Recursos Humanos, dando a devida consideração à condenação criminal que ela recebeu.

"Gostaríamos de expressar nossas condolências à família do paciente e sinceramente pedir desculpas por sua experiência; este incidente é vergonhoso e claramente ficou aquém dos altos padrões de integridade que todos esperamos dos funcionários do NHS", informou o hospital.