A Secretaria Municipal Saúde de Florianópolis informa que foi confirmado o primeiro caso autóctone de dengue no município em 2019. Ou seja, o primeiro caso em que a pessoa foi contaminada em Florianópolis, não trouxe a doença de outras regiões.

Isso aumenta a preocupação e exige mais cuidados das autoridades de saúde em combater a proliferação do mosquito aedes aegyti em Florianópolis e região. A confirmação ocorreu na última sexta-feira (01). O paciente é homem, 24 anos, mora na região continental do município e passa bem.

O Centro de Controle de Zoonose do município já tomou as medidas de proteção ambiental recomendadas. A Prefeitura vem trabalhando em todos os bairros com 1.598 armadilhas que são monitoradas a cada 7 dias, e conscientização da população, no entanto, precisa do empenho de toda a população para auxiliar na eliminação de qualquer recipiente e depósito de água, principais potenciais de criadouros do mosquito aedes aegyti.

A Secretaria Municipal de Saúde explica que desde a última sexta-feira está realizando ações para o bloqueio de transmissão. Na sexta e segunda-feira equipes do Centro de Controle de Zoonoses realizaram visitas em um raio de 150 metros a partir da residência e local de trabalho do paciente autóctone para orientar as pessoas e eliminar água parada, ou seja, todos os locais removíveis que são potenciais criadouros do mosquito foram vistoriados.

Agora, será realizado o segundo estágio, que é a aplicação de larvicida (Ultra baixo volume – UBV) em locais não removíveis e que são criadouros do mosquito. Essa etapa depende das condições climáticas, na hora da aplicação não pode ventar ou chover. A princípio, a aplicação estava prevista para ocorrer na manhã desta terça-feira, mas foi adiada. Ela pode ocorrer ainda hoje no fim da tarde ou na manhã desta quarta-feira.

Até essa segunda-feira, Florianópolis registrou 155 focos de focos do mosquito aedes aegyti, sendo que a região continental é a que apresenta o maior número de focos.

Foram confirmados 3 casos de dengue, dois importados de fora do município e um autóctone. Estão em investigação 37 casos.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?