Os procedimentos ocorrem até metade de julho, na Policlínica do Continente
Foto Divulgação/PMF

Os procedimentos ocorrem até metade de julho, na Policlínica do Continente Foto Divulgação/PMF

Com o objetivo de zerar a fila de espera, a Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis iniciou na segunda-feira (21), o 1º Mutirão de pequenas cirurgias. Os procedimentos ocorrem até metade de julho, na Policlínica do Continente, com duas equipes compostas por cirurgiões plásticos, enfermeiros e auxiliares.

Quer receber notícias no WhatsApp? Clique aqui

Mais de 1500 pessoas aguardam na fila de espera para a retirada de sinais na pele, cistos sebáceos, extração de unhas ou pequenas lesões. Uma delas é Gabriela Oliveira, 21 anos, moradora dos Ingleses, que foi uma das primeiras pacientes do mutirão. “Eu estava aguardando há dois anos para retirada dos sinais, mas agora está resolvido”, disse.

O secretário municipal de Saúde, Carlos Alberto Justo da Silva, ressalta que além de zerar a fila de espera, o mutirão é uma oportunidade para os médicos residentes treinarem com profissionais mais experientes para que mais tarde tais procedimentos possam ser realizados nas unidades de saúde. “Nossa intenção é capilarizar os procedimentos para que outros profissionais realizem na unidade de saúde que atuam”.

O cirurgião plástico, Felipe Wohlgemuth, relata que o mutirão está permitindo realizar 80 pequenas cirurgias por dia. “São procedimentos simples e rápidos, nos casos onde é necessária anestesia geral encaminhamos o paciente para um hospital, em outros casos para um especialista”.  Os pacientes que necessitam de atendimento similar devem ser avaliados nas unidades de saúde e se necessário serão encaminhados para a Policlínica.