Florianópolis perdeu nesta terça-feira (25) mais um dos seus grandes personagens. Morreu aos 91 anos José Elizeu da Silva, o Zé do Cacupé, figura conhecida e querida da cidade, que dá nome a um dos restaurantes mais autênticos da cidade, na praia de Cacupé.

O corpo do Zé do Cacupé está sendo velado nesta terça-feira na Igreja de Nossa Senhora das Necessidades, em Santo Antônio de Lisboa, bairro vizinho do Cacupé, e será sepultado nesta quarta-feira (26), às 9h30min, no cemitério local.

José Eliseu da Silva nasceu em 23 de Abril de 1927 em Cacupé, distrito de Santo Antônio de Lisboa, filho de Eliseu Francisco da Silva (1901-1969) e Tibúrcia Rosalina Gaia (1897-1987). Zé casou-se em 6 de setembro de 1952 com Zair Machado da Silva (1931-2012), a Dona Zinha, e o casal teve seis filhos: Cleia, José Carlos, Lourival, Cleusa, Renato e Cláudia.

Restaurante é um ponto de encontro tradicional dos florianopolitanos e turistas | Foto Divulgação

Sempre alegre, tocou seu comércio de 1951 até o final da sua vida. Adorava cantar, sobretudo serestas. Recebeu o troféu Manezinho da Ilha, era reverenciado como o típico manezinho da ilha.
Além de tocar a sua venda de secos e molhados, dedicava-se à pesca na baía norte da Ilha de Santa Catarina.

Ponto de encontro tradicional dos florianopolitanos e turistas, surgido muito antes do modismo dos restaurantes “gourmet”, Zé do Cacupé era apenas uma “venda”, um armazém, onde também se serviam petiscos à base de peixes e frutos do mar.

Com o tempo, tornou-se uma referência gastronômica típica de Florianópolis, concorrendo com os restaurantes similares da Lagoa da Conceição. Nesta terça e quarta-feiras o restaurante estará fechado em sinal de luto.

Sempre alegre, Zé do Cacupé tocou seu comércio de 1951 até o final da sua vida | Foto Divulgação

Quer receber as notícias no WhatsApp?