Por Rosana Ritta | Foto Reprodução Facebook
"Poder ajudar sempre foi meu lema, mas não imaginava que poderia ser tão útil assim. Me cuidei muito nos últimos dias para que pudesse dar tudo certo. Estou feliz por isso." Assim o corretor de imóveis jaraguaense Osvandir Lehmann, 58 anos, sintetiza a experiência que viveu na semana passada, ao doar sua medula óssea para salvar a vida de uma criança.
A retirada do material ocorreu no sábado passado, no Hospital das Clínicas de Porto Alegre (RS). A recuperação foi tranquila e, conforme previsto, três dias depois ele recebeu alta. Na foto que ele tirou no hospital, o recado aos amigos: "Deu tudo certo agora torcer para o receptor tenha vida novamente".
De volta para casa na quarta-feira (14), no dia seguinte Lehmann já havia retomado sua rotina. "Está tudo bem. Deu tudo certo. Hoje já atendi a um cliente. Tudo de volta ao normal", revelou ele à equipe do OCP online na quinta-feira (15).
Tratado como herói por amigos e familiares pelo gesto nobre de doar parte da medula óssea para uma criança anônima que mora a milhares de quilômetros, na França, Lehmamn agradece os elogios que encheram suas caixas postais e as redes sociais e diz que gostaria muito de conhecer o receptor, mas lembra que esta decisão não depende somente dele. "Existem leis, mas acho que vamos nos conhecer sim", sintetiza, esperançoso.
Ele também espera que seu exemplo sirva de estímulo para outras pessoas entenderem a importância de ter boa saúde e poderem ajudar a salvar vidas com gestos tão simples.
Saiba mais: - Jaraguaense doará a medula óssea que salvará vida de criança francesa