Reza a lenda que ele tem os olhos vermelhos, os pelos bem branquinhos e dá pulos altos. Assim, segundo as tradicionais cantigas, é o Coelho da Páscoa. Quem entra na Escola Municipal Albano Kanzler, logo percebe uma quebra nesse padrão estabelecido pela música. Orelhas grandonas ou pequenas, fofas igual algodão ou cheias de detalhes feitos com crochê, por exemplo. E as cores? Bem, quantas a criatividade permitir. Dos mais variados formatos, um dos símbolos da Páscoa ganhou forma através das mãos dos familiares e alunos dos primeiros e segundos anos do ensino fundamental e agora enchem os corredores de alegria. Mais do que um adereço, os enfeites uniram a família e escola para uma atividade que pode parecer rotineira no currículo escolar, mas é carregada de significados. Com chapéus doados por uma empresa da cidade, as crianças e familiares foram estimulados a transformarem o objeto em um Coelho da Páscoa, que serviu como enfeite para a escola. A coordenadora pedagógica, Elair Tomazelli, explica que o objetivo da atividade foi fazer com que juntos, pais e filhos, sentissem o clima da Páscoa e refletissem sobre seu verdadeiro significado. “É um preparativo para a Páscoa, trabalhamos o cooperativismo e a relação familiar. Tudo isso envolve o respeito e um cuidado com a escola”, diz. Ela explica que toda a comunidade escolar se sente satisfeita ao ver o ambiente mais harmonizado e refletindo os sentidos da data. O sorriso estampado no rosto da pequena Luiza de Castro, de seis anos, não esconde a alegria de ter feito a atividade com os pais e irmãs. “Essa é a Juliana, a coelhinha que fiz com a ajuda da minha família”, mostra toda orgulhosa. Já Thiago Karing, da mesma idade, exibe a criatividade da avô: ela fez orelhas e focinho de crochê para o coelho do neto. Ao todo, 200 crianças foram envolvidas na atividade. Algumas transformaram o chapéu em coelho. Outras, tiveram a missão de fazer cestas com os motivos da Páscoa. Segundo a professora Diva Wiszniewski, essa interação promovida entre pais, filhos e escola frisa o comprometimento da família com a comunidade escolar. “Trabalhamos com eles o verdadeiro significado da Páscoa e trouxemos os pais para juntos sentirem a importância desse momento e de estarem presentes no que acontece na escola”, enfatiza. Envolvimento que alegra pais e alunos A atividade diferenciada fez com que a mãe Tatiane Andreghetone dedicasse um bom tempo do fim de semana a pensar como confeccionaria o coelho. A missão, trazida por Renan da Costa, sete anos, envolveu os dois na produção e a criatividade resultou em um belo coelho com flores e laço azul. “É muito gostoso porque é uma atividade diferente e ver enfeitando a escola dá uma alegria”, diz. Agora, mãe e filho contemplam os enfeites espalhados pelo interior da unidade escolar. Claro, o pequeno aguarda ansioso pela chegada do coelho que, se o comportamento for bom, segundo ele, trará deliciosos ovos de chocolate.