Falta de médico prejudica tratamento de pacientes com câncer em Joinville

Falta de médico prejudica tratamento de pacientes com câncer em Joinville Falta de médico prejudica tratamento de pacientes com câncer em Joinville

Cotidiano

Por: Windson Prado

sexta-feira, 08:27 - 09/02/2018

Windson Prado
A demora na substituição de uma médica do Hospital Municipal São José tem causado transtornos e preocupações para centenas de pacientes que travam uma luta diária contra o câncer. Há aproximadamente um mês, uma das principais médicas do setor oncológico da unidade precisou se afastar do trabalho para fazer um tratamento de saúde. A profissional atua no setor clínico da oncologia e realizava, em média, 200 consultas por semana. Na maioria dos casos, ela prestava o primeiro atendimento aos pacientes recém diagnosticados. Até esta sexta-feira (9), a prefeitura de Joinville não disponibilizou um outro médico para atender a demanda reprimida. O caso foi confirmado por funcionários do hospital. Eles informaram que parte dos atendimentos a pacientes que já estavam em tratamento pela médica afastada foi redirecionado a outros profissionais da oncologia. A equipe também comentou que, na medida do possível, os demais médicos do setor também atendem a novos casos. Eles contaram que a prefeitura está contratando um novo profissional que irá incrementar o corpo clínico da oncologia do São José. Nesta sexta, a reportagem do Jornal de Joinville visitou a oncologia e encontrou pacientes preocupados diante da falta de um profissional médico para substituir a funcionária que ficou doente. “Minha mulher tem 46 anos e faz tratamento do câncer de mama desde o início de 2017 aqui no Hospital Municipal São José. Ela já fez quimioterapia e radioterapia e agora está na etapa de monitoramento e reforço no tratamento. A equipe é boa, mas, a cerca de dois meses, a médica dela está doente, e começamos a enfrentar dificuldades no atendimento”, desabafa o profissional autônomo. O Jornal de Joinville optou em não divulgar o nome dele e da companheira para não os expor. Sem a médica, a família busca orientações com a equipe de enfermagem. “Eles falam que não tem médico substituto, e que teremos que esperar a médica afastada voltar. A parte mais difícil é saber quais medicamentos minha esposa pode ou não tomar. Como não tem médico recorremos à enfermeira-chefe da unidade que nos diz como proceder”, declarou o profissional autônomo. Outra senhora, já não teve a mesma sorte. Pela manhã, ela tentava agendar uma consulta para o marido, recém diagnosticado com câncer. “Eles informaram que a médica estava afastada, e marcaram uma consulta só para março. O jeito vai ser esperar, esperamos que isso não prejudique o tratamento”, comentou a idosa à reportagem do Jornal de Joinville. Contraponto A Prefeitura de Joinville informou em nota que não há restrições no atendimento aos pacientes do setor de oncologia no Hospital Municipal São José. Embora uma médica esteja em licença para tratamento de saúde, os pacientes que eram atendidos por essa profissional foram direcionados aos demais médicos da unidade. A Secretaria da Saúde também iniciou processo de contratação de mais um oncologista para o setor. Ele deve ser efetivado assim que for finalizado o processo de admissão.
Prefeitura diz que a Secretaria da Saúde iniciou processo de contratação de mais um oncologista para o setor | Foto Secom/Prefeitura de Joinville
  Faça parte do grupo de whatsApp do Jornal de Joinville. Clique aqui
×