Por Patricia Moraes Depois de mais de um ano e meio de trabalho, audiências públicas e muitos estudos, a revisão do Plano Diretor de Ordenamento Territorial de Jaraguá do Sul ficará pronta em junho. O documento será apresentado em uma conferência municipal e depois será submetido à apreciação da Câmara de Vereadores. Segundo o presidente do Instituto Jourdan, o engenheiro civil Luís Fernando Marcolla, o instrumento serve para preparar as bases para o futuro do município, fazendo uma previsão de crescimento pelos próximos 20, 30 anos. O levantamento que será apresentado à comunidade trará a perspectiva de aumento do perímetro urbano, segundo Marcolla, um “ajuste para ocupar os vazios urbanos” e também a previsão de compatibilizar o uso dos bairros. “Se você tem um bairro só residencial e outro só industrial, por exemplo, a cidade demanda muito de transporte, locomoção, o que gera dificuldades. Prever esse uso inteligente, respeitando regras básicas, claro, é uma necessidade”. Outra novidade apontada na revisão será a inclusão do primeiro heliponto oficial da cidade, na Malwee, o que demandará a previsão de uma aerovia e o impedimento de construção de prédios altos nas proximidades. O heliponto do Hospital São José ainda precisa ser regulamentado. Outra discussão antiga, a mudança na limitação de altura dos prédios, também deve ser um ponto abordado. No momento, o Código de Obras prevê a altura máxima em 12 andares, limite que poderia mudar para 15 com a posterior regulamentação. Segundo Marcolla, o Plano Diretor deve oportunizar uma maior flexibilização, respeitando as características de cada localidade. Os contornos viário e ferroviário também fazem parte das projeções para o futuro e por isso tiveram o impacto estudado. Uma das propostas é a criação de condomínios industriais nas proximidades desses pontos.