Em assembleia realizada nesta terça-feira (2), os trabalhadores demitidos pela RR Donnelley e os dirigentes do Sindgraf, que representa a categoria em Blumenau e região, deliberaram uma pauta de reivindicações que foi encaminhada para o jurídico da empresa.

Entre os principais pleitos apresentados, está o pedido de acesso imediato à unidade situada na Itoupava Central para retirada dos bens pessoais. Desde o anúncio de encerramento das operações, os ex-funcionários seguem impedidos de entrar no local.

Além disso, os trabalhadores pedem celeridade na tramitação dos documentos que formalizam as demissões, para poderem dar entrada em benefícios como o fundo de garantia (FGTS) e o seguro-desemprego. Também foi requerida a manutenção dos planos de saúde por um período a ser definido, uma vez que há pessoas em tratamento de saúde e com procedimentos médicos agendados.

Até o fechamento desta matéria, o Sindgraf não havia recebido um posicionamento por parte do representante da RR Donnelley.

Fechamento de empresa

A RR Donnelley anunciou nesta segunda-feira (1) o encerramento das operações no Brasil após mais de 25 anos. A empresa norte-americana, que fornece soluções gráficas e impressões, tinha uma unidade em Blumenau, no bairro Itoupava Central, além de outras duas no estado de São Paulo.

De acordo com o comunicado oficial, a decisão foi tomada com base em “uma análise meticulosa das finanças” e em razão das “atuais condições de mercado na indústria gráfica e editorial tradicional, que estão difíceis em toda parte, mas especialmente no Brasil”. A empresa alega que “registrou uma drástica redução no volume de trabalho contratado”.

A medida impacta na demissão de aproximadamente 160 pessoas que atuavam na unidade de Blumenau. Além disso, o encerramento das atividades vai gerar uma perda de receita para os cofres municipais. A Prefeitura informou que, somente no ano passado, arrecadou R$ 1,4 milhão com tributos pagos pela empresa.

Cronograma do Enem é mantido

Num primeiro momento, o fechamento da RR Donnelley trouxe incertezas quanto à manutenção do cronograma definido para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Desde 2009, a empresa é responsável pela impressão do exame.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), no entanto, garantiu que as provas estão mantidas para os dias 3 e 10 de novembro, como previsto no edital.

Quer receber as notícias no WhatsApp?