Uma picada de mosquito levou a um processo necrótico que custou à estudante Maria Clara Oliveira Nogueira, de 14 anos, cerca de 30% da panturrilha esquerda. As informações são do UOL.

A adolescente passou 49 dias internada após ser vítima de um mosquito-palha, transmissor da leishmaniose.

Conforme a mãe da jovem, Fabiana Oliveira Borin, a filha participava de uma atividade escolar ao ar livre, em Caieiras (SP), quando foi picada pelo inseto no dia 14 de fevereiro. Duas semanas depois da picada, o ferimento na perna da estudante não havia melhorado e ela procurou atendimento médico no Hospital de Laranjeiras.

Na unidade de saúde, o ferimento passou por drenagens e a estudante recebeu medicação.

No entanto, após 15 dias de tratamento, o médico responsável decidiu internar a adolescente. De acordo com o profissional de saúde, a garota havia contraído uma bactéria após a picada que seria “resistente” e a menina corria risco de perder a perna.

Quase um mês após a picada, os médicos diagnosticaram que a garota havia sido picada por um mosquito-palha, transmissor da leishmaniose. Maria Clara passou por dois procedimentos cirúrgicos para a retirada de necroses da perna, que poderiam gerar infecção generalizada.

Apesar de receber alta do hospital, a adolescente ainda está de atestado médico. “Por enquanto, ela precisa fazer repouso e só sai de casa para ir ao pronto-socorro fazer os curativos”, explicou a mãe.

Em nota ao Uol, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo lamentou o ocorrido com a estudante da Escola Estadual Doutor Mário Toledo de Moraes. Conforme a pasta, a família está recebendo a assistência necessária.