Entre a sexta-feira (18) e domingo (20), durante exatas 72h, Jaraguá do Sul deu uma demonstração de solidariedade e de otimismo, mesmo em meio a um difícil e atribulado ano.

Em três dias, uma grande rede de apoio se formou, em prol das famílias atingidas pelo forte temporal na cidade de Presidente Getúlio, no Alto Vale do Itajaí.

De um lado, doações de mantimentos e produtos de limpeza e higiene, em mobilização conjunta da Prefeitura com empresas e instituições da cidade.

Em outra frente de trabalho, equipes de voluntários, mobilizados pela Defesa Civil, foram atender as vítimas da tragédia climática que, até a manhã de segunda-feira (21), já contabilizava vinte mortos.

A mobilização começou na sexta-feira, com as primeiras doações chegando ao Parque Municipal de Eventos e sendo preparadas para o envio à região atingida.

Foto Divulgação PMJS

Além disso, no Centro Administrativo Municipal (CAM), a Defesa Civil reuniu sua rede de voluntários para irem até Presidente Getúlio, para auxiliar no resgate às vítimas.

Assim como nas diversas tragédias climáticas que Jaraguá do Sul já sofreu a cidade recebeu ajuda, era chegado o momento de retribuir o auxílio para aqueles que mais precisam.

Doações alcançam 30 toneladas

No primeiro momento as doações foram sendo recolhidas pela empresa Dalila Têxtil, com matriz em Jaraguá do Sul, mas que mantém uma unidade de produção na cidade atingida.

Diversas outras empresas também colaboraram nas primeiras doações, que foram chegando ao Parque Municipal de Eventos, disponibilizado pela Prefeitura para o recebimento e separação dos itens.

As carretas com os produtos recolhidos foram enviadas para Presidente Getúlio no sábado (19), com 30 toneladas em doações.

Foto Divulgação PMJS

Foram roupas, alimentos, produtos de higiene e limpeza, e água potável levados até a cidade, com o transporte doado pela transportadora Gartran Logística. A Rede de Postos Mime, que também foi um local de doação, enviou mais de 25 mil garrafas de água.

A rede de voluntariado da Weg, por sua vez, disponibilizou 28 colaboradores para atuar na triagem das doações, além de enviar 200 cestas básicas. Diversas outras empresas também fizeram suas contribuições por conta própria, levando diretamente até o local impactado pela enxurrada.

Outras tantas, por mobilização da Associação Empresarial de Jaraguá do Sul (Acijs) ou da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), trouxeram suas doações ao ponto de triagem.

Para a Chefe de Gabinete, Emanuela Wolff, a movimentação dos mais diversos setores da comunidade só consolidou o espírito solidário e de companheirismo que o jaraguaense cultiva.

“Somos uma cidade que já sofreu muito com as catástrofes climáticas. Dessa vez nós tivemos condições de ajudar aqueles que mais precisaram do apoio. Somos diferenciados pelo voluntariado – e em pouco tempo colocamos de pé toda a estrutura de auxílio à essas pessoas. É pouco, mas para quem está lá na ponta, necessitando desse apoio, é essencial”, afirmou.

Atendimento às vítimas

Enquanto a mobilização era preparada no Parque de Eventos, as equipes de voluntários se preparavam para auxiliar nas buscas por vítimas no Alto Vale.

Algumas equipes saíram de Jaraguá do Sul ainda na quinta-feira (17), com destino às cidades de Presidente Getúlio e Ibirama, para auxiliar no resgate de vítimas do temporal, com equipamentos e veículo cedidos pela Diretoria de Proteção e Defesa Civil municipal.

O comboio incluiu membros do Grupo Especialista em Resgate e Salvamento (Gerar), criado em 2009 para auxiliar os órgãos de segurança e defesa civil.

Marciano Pereira, coordenador de operações da entidade, ressalta que o grupo é composto essencialmente por bombeiros, resgatistas, profissionais de saúde e policiais militares, fazendo parte da rede de voluntariado estabelecida pela Defesa Civil municipal que é acionada em casos de emergência pública.

Foto Divulgação PMJS

De acordo com Pereira, a equipe conseguiu ficar mais tempo do que o planejado, tendo o apoio da população dos locais por onde passavam.

“Em cada localidade, em cada bairro havia alguém oferecendo a própria casa para nosso descanso. Nos traziam água, comida, eram gentis mesmo em meio à toda a situação que enfrentavam”, disse.

A “Equipe Jaraguá”, como era identificada pelo comando da operação na cidade, foi uma das poucas – juntamente com o Corpo de Bombeiros Militar – que teve acesso à área mais impactada pelo temporal.

“Éramos uma das equipes mais especializadas, com o suporte necessário para operações difíceis como essa. Muito se deve ao preparo dos nossos voluntários e ao apoio que tivemos da Prefeitura em todos os momentos, desde a criação do grupo há onze anos. Se pudemos ajudar lá em Presidente Getúlio, como já auxiliamos em diversas outras ocorrências, foi por ter respaldo do Município”, completou o coordenador do Gerar.

 

Telegram Jaraguá do Sul