Foto Divulgação
Foto Divulgação

A parceria entre o escritório de engenharia Projeto A e a Empresas Minister, da cidade de Itajaí, resultou em um equipamento inusitado, porém considerado eficaz no combate ao novo coronavírus. Trata-se da Cabine Auxiliar de Proteção com Névoa Ozonizada (CAP 03), que promove a desinfecção total da superfície, sejam roupas, calçados e outros objetos de quem os utiliza.

A principal arma contra a disseminação do vírus é a utilização de água ozonizada aplicada por meio de spray em névoa. O objetivo do projeto é que, antes de entrarem em ambientes como lojas, academias, clínicas, academias e comércio em geral, os usuários passem pela cabine para realizar a desinfecção, tornando o ambiente mais seguro.

A solução não é tóxica, não tem cheiro e todos os produtos são certificados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Além disso, antes de utilizar a CAP 03, alguns procedimentos são realizados, como a aferição da temperatura do usuário por um painel digital e há orientações sobre o uso de máscaras, dispenser com álcool em gel e tapete sanitizante. A primeira unidade foi instalada em um restaurante na região central de Itajaí.

De acordo com o diretor da Empresas Minister, Jorge Goetten, a máquina foi desenvolvida por uma equipe multidisciplinar e liderada por um especialista em inovação pela Universidade de Babson College, em Boston (EUA). O grupo conta ainda com dois engenheiros sanitaristas, uma engenheira química e uma biomédica.

A CAP O3 é um equipamento diferente em relação aos chamados túneis de descontaminação que existem no mercado, pois é compacto, com geração de névoa controlada e saturação de ozônio dimensionada, garantido a segurança da saúde das pessoas.

 

“O grande diferencial desse equipamento, além de ser fabricado em Santa Catarina, é o custo-benefício. O valor é muito inferior ao praticado no mercado e é 100% certificada”, garantiu Goetten, que adiantou que o equipamento é de baixo custo de manutenção e fácil operação.

 

O responsável técnico pelo projeto, o engenheiro Régis Chrystian da Silva, explica que o processo de oxisanitização de superfícies por ozônio saturado em água é uma técnica muito conhecida e utilizada cientificamente no mundo todo.

“O equipamento não molha as pessoas que passam por ele, mas aplica uma fina camada de microgotículas de água saturada em ozônio, capaz de liberar radicais livres de peróxido de hidrogênio e hidroxila, o que esteriliza a superfície atingida. A CAP O3 é certificada por profissionais por meio de Anotação de Responsabilidade Técnica junto ao conselho de classe de cada um dos profissionais envolvidos no projeto”, destacou.

As cabines estão sendo comercializadas para indústrias, restaurantes, academias, clínicas médicas e comércio em geral em modalidade de locação.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Telegram Jaraguá do Sul