Criciúma registrou, somente nesta quinta-feira, ao menos cinco ocorrências de enxames de abelhas que se instalaram em apartamentos. O fato chama a atenção pelo grande número de abelhas envolvidas, chegando a 40 mil delas em um dos casos.

Conforme a professora doutora da Unesc, Birgit Harter Marques, estudiosa sobre abelhas, a presença da grande quantidade do inseto precisa ser encarada com cuidado, já que eles possivelmente passam por período de estresse e se tornam ainda mais agressivos.

Chamado de “enxameamento”, de acordo com Birgit, o fenômeno se explica pelo fato de estarmos em período de grande disponibilidade de flores e, logo, alimento para as abelhas, o que causa estresse na colmeia.

“Os prédios que temos nas cidades fazem com que as abelhas não consigam voar de forma horizontal na procura de um lugar permanente adequado para se instalar. Sendo assim, elas estão se dividindo, pois são muito numerosas, e procurando lugares arejados, escuros e seguros”, explica, acrescentando que as altas temperaturas também influenciam no processo.

De acordo com Birgit, este é um processo natural, que pode durar alguns dias, caso elas considerem o local temporário, ou um período melhor, no caso de a colmeia avaliar o local como ideal.

Fotos: Divulgação

O manuseio do enxame deve ser feito apenas por apicultores preparados e com os equipamentos adequados para tal.