Os fortes ventos provocado por uma frente fria que passou pela Argentina, Uruguai e Rio Grande do Sul na tarde desta terça-feira (12) alcançou Santa Catarina e provocou estragos em algumas cidades. O que muita gente pensou que era um tornado, tratava-se, na verdade, de microexplosões provocadas pelos ventos.

De acordo com o meteorologista da Epragi/Criam, Marcelo Martins, os estragos provocados por um tornado e pelas microexplosões é praticamente o mesmo. A diferença é que as nuvens carregadas que passaram pelo Estado, embora pesem milhares de toneladas, não tocam ao chão.

"Essa grande nuvem provoca chuvas fortes e ventania que passa dos 100 km/h, o que pode originar uma supercelula dá origem ao tornado ou às microexplosões. (O fenômeno) é muito perigoso para navegação aérea e marítima e, sobre a superfície, acaba destruindo tudo", explicou.

As cidades mais atingidas pela forte tempestade foram Presidente Getúlio, no Alto Vale do Itajaí; Água Doce, no Oeste; e Urupema, na Serra.

Frente fria baixa temperaturas

O tempo continua instável para navegação nesta quarta-feira (13). Um alerta emitido pela Defesa Civil dá conta de que há risco para maré alta, registro de ondas de até quatro metros e risco de alagamento em Santa Catarina.

Outra frente fria baixa as temperaturas na maior parte do Estado a partir desta quarta-feira. No Oeste já há registro de temperaturas menores de 10ºC. No Litoral, o frio deve chegar entre a noite e a madrugada.

Nesta quinta-feira, as mínimas devem ser de 8ºC e as máximas de 19ºC na Grande Florianópolis. As regiões que devem registrar as menores temperaturas devem ser o Extremo Oeste, com mínimas de 4ºC, e o Planalto Sul, com mínimas de 3ºC.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?

Região de Jaraguá do Sul - Clique aqui

Região de Joinville - Clique aqui

Região de Florianópolis - Clique aqui