O bem-estar feminino e os cuidados ginecológicos devem ser mantidos durante todo o ano. Março, porém, é o Mês da Conscientização da Endometriose – Março Amarelo, mas mesmo o mês terminando, os cuidados e prevenção continuam.

A endometriose é um crescimento do endométrio (camada interna do útero e que “descama” a cada ciclo menstrual, fora do útero, na cavidade abdominal). Esse tecido acaba sendo substituído por tecido fibrótico, que acomete órgãos e nervos pélvicos, podendo afetar útero, anexos, intestino grosso, bexiga e até mesmo pulmão e diafragma. Essa reação inflamatória leva à dor pélvica crônica, com piora nos ciclos, hemorragia, dor nas relações sexuais, alteração do ciclo menstrual, dor ao evacuar, além da possibilidade de tornar a mulher infértil.

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa, a endometriose atinge cerca de 10% da população feminina brasileira. Mulheres jovens, entre 25 e 35 anos de idade, são as mais afetadas.

A cirurgia de endometriose é feita por meio da videolaparoscopia ou com uso da plataforma robótica comandada pelo cirurgião, levando a uma melhor e mais rápida recuperação, menos dor e menores índices de complicações.