A indústria joinvilense mais uma vez foi destaque na mídia nacional neste fim de semana. Uma empresa da cidade, a Ciser, foi convidada a participar do quadro Chefe Secreto, do semanário Fantástico, da Rede Globo de Televisão. Na reportagem, o gerente corporativo de gestão de pessoas da Ciser, Leandro José Soares, se disfarçou de Joaquim Nabuco de Souza, um novo funcionário que tem uma leve deficiência, e acaba de ingressar na empresa.
Quer receber as notícias do Jornal de Joinville no WhatsApp? Basta clicar aqui
As gravações ocorreram entre novembro do ano passado e março deste ano em fábricas da Ciser de Joinville, Araquari e Sarzedo (MG). A primeira parte da reportagem, exibida neste domingo (25), mostra o executivo atuando na cidade mineira. Na próxima semana, o semanário deve mostrar cenas da experiência vivenciada em Joinville e Araquari.
Um dos objetivos da série é que o gestor observe de perto as rotinas dos funcionários e identifique processos que possam ser melhorados e aperfeiçoados. No último, os espectadores irão saber se Soares foi descoberto e conhecer quais sonhos dos funcionários foram realizados. A série é uma adaptação brasileira do formato inglês “Undercover Boss”, apresentada pelo consultor de carreiras Max Gehringer.
A Ciser é líder na fabricação de fixadores na América Latina. “Tive a oportunidade de perceber melhor as pessoas na sua essência, no que elas acreditam. Voltei aos meus primórdios, pois também comecei no ‘chão de fábrica’”, revela Leandro José Soares, que “infiltrou-se” entre os funcionários, disfarçado. Soares é gerente corporativo de gestão e pessoas da Ciser e atua como diretor do Instituto Ithio, braço de responsabilidade social e ambiental do Grupo H. Carlos Schneider.
Quando chegou ao seu cargo atual na Ciser, Soares sugeriu que fosse feito algo similar ao que a série Chefe Secreto propõe: queria escutar os funcionários, saber o que realmente pensam de sua profissão, “sem máscaras”. “Vimos que podemos fazer muitas melhorias. Uma delas é repensar o modelo de comunicação, fazer com que a conexão entre líder e liderado seja cada vez mais próxima. Entrar no processo do dia a dia nos ajudou a enxergar essa necessidade”, ressalta o gerente.
Confira a reportagem clicando aqui