Cinco dias após o início das obras de construção da Via Verde, no bairro Ilha da Figueira, já é possível acompanhar o surgimento do traçado que irá determinar a localização da nova avenida. Pelos próximos três meses, a empresa Infrasul irá trabalhar na primeira etapa da obra, que inclui o levantamento topográfico da área e serviços de terraplanagem, limpeza e drenagem do terreno. De acordo com secretário de Obras e Serviços Públicos, Ivan Wolter, a execução da obra deve começar pela ponte do Centenário, na Rua Belnildo Zanin, conforme previsto no projeto, seguindo até a Estação de Tratamento de Esgoto do Samae, na Rua Hedwig Bruns. Apesar do prazo de 12 meses estipulado no contrato, a expectativa é finalizar a estrutura em até seis meses. Segundo o engenheiro responsável, Henrique Chaves, esta semana uma equipe de 15 profissionais trabalhou no local. O efetivo será ampliado para 25 pessoas a partir da próxima segunda-feira. “O primeiro passo é definir o traçado que a via irá fazer, seguindo o que está determinado no projeto, e então preparar o espaço, que é predominantemente composto por terreno virgem”, diz Chaves. Paralelo ao processo de terraplanagem, a equipe também trabalha na drenagem, com a escavação, preparo de valas e colocação dos tubos. “Terminada esta primeira etapa, que leva em média três meses, começaremos a parte de pavimentação granulada, que será a base para o asfalto”, detalha o engenheiro. Conforme Chaves, a obra é considerada relativamente simples, mas exige alguns cuidados extras por se tratar de um projeto de baixa interferência no cenário natural da região. “Como é uma área alagadiça, alguns seguimentos da obra precisam conter um sistema de estabilização da fundação da via, com a utilização de um colchão de areia. Isso irá garantir a durabilidade do pavimento para que não haja problemas estruturais”, comenta. O primeiro trecho da Via Verde possui 1,2 quilômetros de extensão e está orçado em pouco mais de R$ 3 milhões. O edital da obra foi lançado em abril deste ano e o poder público conseguiu a redução de 20% no valor da licitação, que ficou R$ 667 mil abaixo do custo estimado. Construída às margens do Rio Itapocu, a Via Verde deverá melhorar o fluxo viário na cidade, sem prejudicar a estrutura natural da região. O projeto total terá três quilômetros. A segunda parte do projeto terá extensão de 1,7 mil metros e custo estimado de R$ 5 milhões. Ainda não há previsão de recurso para esta etapa da obra.