Nesta quinta-feira, (5), a FATMA (Fundação do Meio Ambiente) divulgou o primeiro relatório de balneabilidade de 2017. A pesquisa apontou que dos 214 pontos analisados em Santa Catarina, 143 estão próprios para banho. Segundo o relatório, as chuvas de verão e o aumento de pessoas na alta temporada influenciaram o aparecimento de mais locais com índices elevados de poluição. Porém, em relação às análises feitas no mesmo período do ano passado, houve uma melhora nos casos de áreas impróprias. Florianópolis, por exemplo, apresentou 51 praias próprias para banho. Já Balneário Camboriú também entrou na lista de praias impróprias: dos 14 pontos analisados, nove não são recomendados para banho. Veja a situação das áreas próprias e impróprias clicando no mapa abaixo: praias As áreas analisadas entre os dias 02 e 04 de janeiro correspondem aos municípios de Araranguá, Bal. Arroio do Silva, Bal. Gaivota, Bal. Camboriú, Bal. Da Barra do Sul, Bal. Rincão, Barra Velha, Biguaçú, Bombinhas, Florianópolis, Garopaba, Gov. Celso Ramos, Imbituba, Itajaí, Itapema, Itapoá, Jaguaruna, Joinville, Laguna, Navegantes, Palhoça, Passo de Torres, Penha, Piçarras, Porto Belo, São Francisco do Sul e São José.

Relatório de balneabilidade leva em conta a presença de bactérias

Para compor o relatório de balneabilidade, a FATMA analisa as águas do litoral catarinense em busca da bactéria Escherichia Coli e, que é encontrada em fezes de animais e humanos. O resultado é obtido depois de cinco coletas consecutivas. Se 80% das análises registrarem uma quantidade de bactéria inferior a 800 por 100 mililitros, o ponto está apto para banho. Do contrário, ele é considerado impróprio.