Uma faixa está na entrada da Ilha de Santa Catarina | Foto PMF/Divulgação,
Uma faixa está na entrada da Ilha de Santa Catarina | Foto PMF/Divulgação,

A Prefeitura de Florianópolis lançou uma série de ações de comunicação para conscientizar a população da Capital Catarinense sobre os malefícios da farra do boi. Além de intervenções artísticas em pontos da cidade, como faixas de segurança, outdoor, busdor, e numa faixa na entrada da Ilha de Santa Catarina, o município também planeja ações de repressão para quem insiste em cometer o crime da farra do boi.

farra do boi é comum no período da quaresma em regiões do litoral catarinense | Foto PMF/Divugação

Em parceria com a Polícia Militar, o município disponibiliza equipamentos para resgate dos animais que possam vir a serem vítimas da farra. Além disso, a Prefeitura também tem um convênio com a Associação de Proteção dos Animais de Santa Catarina, a ACAPRA. Através do convênio, o município custeia o atendimento e tratamento destes animais até sua doação.

A farra do boi é comum no período da quaresma em regiões do litoral catarinense. E foi considerada uma prática de maus tratos há 20 anos pelo Superior Tribunal Federal, mas ainda faltava essa postura de realmente coibir a prática e de proteger os animais.

Comunicação serve para conscientizar a população sobre os malefícios da farra do boi | Foto PMF/Divulgação

Para o prefeito da cidade, Gean Loureiro, não é aceitável que a capital catarinense ainda produza episódios de maus tratos a animais.

“Florianópolis é, hoje, referência no cuidado com animais, com diversas ações que estamos desenvolvendo. Mas precisamos erradicar de vez uma prática antiga que infelizmente é confundida com cultura”, disse o prefeito.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?