Uma comitiva catarinense, representando os hospitais públicos do Estado, está em agenda na capital federal. Por causa da pandemia de Covid-19, as instituições estão sofrendo com o rombo nas finanças ocasionado pelos milhares de atendimentos gerados pelo vírus.

Em virtude desta situação, é que representantes da Associação dos Hospitais do Estado de Santa Catarina (AHESC), e da Federação das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas do Estado de Santa Catarina (FEHOSC), juntamente com outras federações de diversos estados brasileiros, solicitaram uma audiência com o Presidente da República, Jair Bolsonaro, e com o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para pedir socorro.

Ao final de reunião, uma boa notícia. O presidente Bolsonaro, confirmou que repassará às instituições, R$ 2 bilhões, o que deve aliviar as finanças das entidades.

“O presidente nos garantiu, que através de uma medida provisória, vai liberar R$ 2 bilhões às Santas Casas e Hospitais Filantrópicos de todo o país, e, Santa Catarina, lógico, será contemplada. Isso nos deixa felizes”, comemorou Neuza Lúcio Luiz, representante da AHESC.

A convite de membros do Hospital São José de Criciúma, os vereadores Obadias Benones (Avante) e Júlio Kaminski (PSL), participaram do evento e se demonstraram satisfeitos com a sinalização do chefe do Executivo Nacional.

“A pandemia devastou as finanças dos hospitais públicos de todo o país. Em Santa Catarina, a situação não é diferente. A garantia da liberação deste volumoso recurso por parte do presidente Jair Bolsonaro, de fato, nos traz um alívio”, disse Benones.

Nesta quarta-feira (26), a agenda da comitiva catarinense continua. Os parlamentares criciumenses, programaram uma série de encontros com deputados do Estado para tratar do assunto.

“Agora, queremos que os deputados entendam o clamor da saúde pública, e que através de emendas, ajudem nossas instituições”, finalizou Kaminski.