Assim como diversos setores, principalmente o de eventos, o Circo Rakmer, instalado em Criciúma há 52 dias, passa por dificuldades devido à falta de público e as restrições impostas pelo poder público por conta da pandemia de Covid-19.

Segundo Jonas Santos, do setor comercial do Rakmer, há 50 pessoas no local: 40 adultos e dez crianças.

“Nós chegamos aqui em novembro, quando estava a bandeira amarela. Depois começou a entrar os decretos, passar para a bandeira vermelha, e esses lockdowns de fim de semana realmente nos tiraram completamente o público”, disse.

Conforme ele, a maior necessidade é de alimentação, gás e também produtos de higiene e limpeza.

“No momento a gente precisa de cesta básica. Tem gente que vem aqui e faz a doação e a gente não aceita doação em dinheiro em hipótese alguma. O pessoal pode trazer também vale gás, que é uma coisa cara de se ter, e aqui nós temos muitas famílias que dependem de gás. Higiene pessoal e material de limpeza também precisamos com força” solicitou.

As doações podem ser entregues no próprio circo, montado no estacionamento do Criciúma Shopping.