Com direito ao desfile de cinco gerações da família da presidente Iracema Pinheiro na avenida improvisada no Parque Municipal de Eventos, os integrantes do bloco Em Cima da Hora comemoraram o 13º troféu seguido. Mas o que será que levou o grupo a conquistar, por tantas vezes, o prêmio? Fantasias e alegorias bem produzidas, dentro do tema abordado pelo enredo, e o próprio samba-enredo, além da animação dos passistas, foram quesitos essenciais e que deram mais esse título ao grupo, segundo jurados. A alegria dos cerca de 120 integrantes que desfilaram pelo bloco contagiou o público e conquistou os julgadores. A escolha e a formulação do samba-enredo abrilhantaram o desfile e fizeram com que o bloco faturasse mais três prêmios: o estandarte de melhor samba-enredo, fantasia e bateria. O grupo abordou os Jogos Olímpicos e a cidade-sede Rio de Janeiro - presente também na comissão de frente, que trazia o gingado dos malandros cariocas, a criatividade, o cuidado com as fantasias e a maestria da bateria, comandada por Jean Juarez Ferreira, o Boca. Para a jurada Cristina Pretti, o conjunto de todo o desfile fez com que o bloco de samba sobressaísse em relação ao outro grupo. “Foram só dois blocos, então avaliei de maneira comparativa. Eles fizeram com o que poderiam fazer, foi um Carnaval de resistência mesmo, mas o Em Cima da Hora estava melhor em termos de alegoria, um samba-enredo objetivo e todos muito animados”, explica. Atuando pelo primeiro ano como jurada, a artista plástica comenta que percebe essa desenvoltura dos integrantes em outros desfiles que ela acompanhou como espectadora e que essa animação também faz diferença na hora do desfile. O grupo de jurados foi montado por seis pessoas que representavam as áreas de publicidade, artes plásticas, literatura, moda, educação e música. Participando do Carnaval há 28 anos, Iracema Pinheiro, presidente do bloco campeão, enfatiza a dedicação de todos os envolvidos. “Sabemos que poderia ter sido bem melhor, mas foi o melhor que conseguimos fazer dentro da nossa realidade financeira. Todos se dedicaram ao máximo, a bateria está de parabéns pelo belo trabalho que fez em pouco tempo. É o coração do bloco que pulsou forte”, enfatiza. Ela explica que o grupo sempre trabalha com base no orçamento no mesmo valor de prêmio destinado para o segundo colocado. Galeria Verde e Rosa A presidente credita o mais novo prêmio a todos os integrantes do grupo que fizeram um “desfile bonito e que mostraram que todo o esforço valeu a pena”. Para o próximo ano, ela afirma que os foliões podem esperar que o bloco volta a pisar na passarela da cidade e que ainda há espaço na prateleira para novos troféus. Esforço, dedicação, criatividade e vontade de ganhar, garantiu ela outras vezes, não faltam. Dois assuntos distintos, mas que ao mesmo tempo tem tudo a ver com o cenário brasileiro atual, serviram de tema para os sambas-enredos dos blocos de Jaraguá do Sul. O Verde e Rosa, segundo colocado, usou da criatividade para falar sobre a inflação. A diminuição da verba para o Carnaval - este ano a Prefeitura destinou R$ 25 mil para a premiação enquanto que em 2015 foram cerca de R$ 129 mil - não tirou o brilho da festa. Determinados a fazer o Carnaval acontecer, os integrantes das equipes de samba levaram alegria, brilho e animaram a noite. O primeiro colocado faturou o prêmio de R$ 15 mil; o segundo, de R$ 10 mil. Galeria Em Cima da Hora