Edson Jung e Rafaela Marquezine foram estimulados a participar do programa | Fotos Divulgação
Edson Jung e Rafaela Marquezine foram estimulados a participar do programa | Fotos Divulgação

Jaraguá do Sul voltou a aparecer em rede nacional. Desta vez, quem esteve nos holofotes foram dois funcionários da WEG, Rafaela Marquezini, 36 anos, e Edson Jung, 47 anos.

Eles foram desafiados a mudarem seus hábitos no programa Almanaque Saúde, do canal Futura, que tem parceria com o Serviço Social da Indústria (Sesi).

Rafaela busca melhorar sua alimentação e deixar o sedentarismo de lado para emagrecer, enquanto Edson tem que se esforçar para cuidar da diabetes, que afeta diariamente sua rotina.

O primeiro episódio da segunda temporada contou a história dos dois jaraguaenses e teve a participação da equipe de bem-estar do programa. Ainda serão exibidos mais episódios sobre as mudanças de vida encaradas pelos funcionários da WEG.

Como os episódios finais não foram ao ar, o resultados obtidos por Rafaela e Edson ainda não podem ser revelados.

Entretanto, a supervisora de atividades físicas do Sesi, Sidineia Kressin, afirma que mesmo após os 21 dias de gravações, que terminaram em setembro de 2018, os dois continuaram buscando manter a rotina aprendida no programa e hoje recebem dicas de nutricionistas e profissionais de educação física.

Uma luta contra a má alimentação

"Preciso comer até se sentir totalmente cheia", é assim que Rafaela começa a relatar sua rotina alimentar. A analista de engenharia de processos diz que engordou 30 quilos em 10 anos e é necessário mudar seu cardápio caso queira realizar seu maior sonho: ser mãe.

"A questão de não conseguir engravidar está envolvida com a minha alimentação ruim", confessa.

Outro ponto que ela quer melhorar a frequência na prática de exercícios físicos. Rafaela diz que não sente nenhum prazer ao realizar atividades físicas, mesmo tentando se enganar para gostar da prática. "Eu não consigo. Quando começo já estou pensando no final do exercício", destaca.

Rafaela está eliminando as comidas mais gordurosas | Foto Divulgação

Ela chegou a procurar até seis nutricionistas para resolver essa questão, mas, segundo Rafaela, a sua indisciplina afeta na não mudança de hábitos, algo que está fazendo após aceitar o desafio do canal Futura.

As consequências da diabetes

Edson, ao contrário de Rafaela, já realizou seu sonho em ser pai há 20 anos e agora está reatando esse sentimento com o nascimento do terceiro filho. Mas para aguentar o pique entre o trabalho e a família, ele precisa seguir o mesmo caminho de sua companheira de WEG.

Ele tem diabetes mellitus tipo dois, que afeta a forma como o corpo processa a glicose e por isso sente dores crônicas em partes do corpo.

Quando descobriu que tinha diabetes, ele começou a controlar sua alimentação, algo que não se manteve, principalmente devido a sua paixão por doces. "Eu não consigo tomar café da manhã sem comer um doce", ressalta.

Edson está acabando com o "vício" de doces | Foto Divulgação

A equipe de bem-estar do programa recomendou o engenheiro trocar o pão e doce por um alimento similar, mas que não tenha malefícios ao seu diabete. Ele se assustou quando disseram para ele caminhar três vezes por semana.

"Não vou negar que era bem sedentário, por isso a atividade física é um desafio grande", enfatiza.

Para as pessoas que desejam participar de um método igual ao programa, o Sesi está com vagas em aberto para três turmas do grupo de emagrecimento saudável. Sidineia diz que a ação tem duração de quatro meses e as próximas três equipes, com 30 pessoas cada, começam no dia 26 de fevereiro.

"A nossa equipe é formada por psicóloga, nutricionista e profissional de educação física, além de contarmos com a presença de um mestre de cozinha", destaca.

Para ter esse acompanhamento profissional no Sesi, o valor é R$ 63 para colaboradores da indústria e cinco vezes de R$ 82 para quem não é colaborador.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?