A BRF recolheu cerca de 164, toneladas de carne de frango in natura da marca Perdigão destinada ao mercado doméstico e mais 300 toneladas de frango destinadas ao mercado internacional. O recolhimento foi pelo risco de contaminação por salmonella.

Os produtos foram comercializados nos estados do Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

A empresa informou ainda que a carne recolhida saiu de sua unidade de Dourados, no Mato Grosso do Sul, e que "destacou um grupo de especialistas para investigar as origens deste único caso para garantir a adoção das medidas apropriadas para evitar recorrência".

Em nota, a empresa informou que a carne recolhida saiu da unidade de Dourados, no Mato Grosso do Sul, e especialistas vão investigar as origens "deste único caso para garantir a adoção das medidas apropriadas para evitar recorrências".

A nota ainda ressalta que a bactéria salmonella não sobrevive se o alimento for cozido, frito ou assado. Se for consumido in natura (cru), a salmonella enteritidis pode representar risco à saúde, causando infecção gastrointestinal, cujo sintomas são dores abdominais, diarreia, febre e vômito.

Os itens com possível contaminação forma produzidos entre o dia 30 de outubro e 12 de novembro de 2018. Se os consumidores tiverem o alimento em casa, devem consultar a data da fabricação e orgiem nas embalagem.

Caso aja alguma irregularidade, entrar em contato com o e-mail recolhimento.sac@brf-br.com ou pelo telefone 0800 031 1315.

Quer receber as notícias no WhatsApp?