Cerca de cinco mil pessoas foram à Paróquia Nossa Senhora Aparecida ontem (12) para demonstrar fé e gratidão pela padroeira do Brasil. Por volta das 9h, uma carreata saiu da Matriz São Sebastião, no Centro, com destino à igreja localizada no bairro Ilha da Figueira. Às 10h, a imagem da santa chegou ao local no caminhão do Corpo de Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul e fogos de artifício foram soltos ao céu. Ao longo do dia, os fiéis permaneceram na paróquia para a missa comemorativa e o tradicional almoço. No período da tarde também teve bingo e brinquedos para as crianças. Segundo o padre da comunidade, Felício Girelli, as celebrações foram ótimas. “Na região existem muitos devotos da santa em virtude da influência do Santuário Nacional de Aparecida, em São Paulo. Cada vez mais, espero que as pessoas se aproximem de Cristo através da Nossa Senhora”, frisa o padre. IMG_0758-2 O feriado também serviu para a abertura do Ano Santo Mariano, que marca os 300 anos da aparição da padroeira nas águas do litoral paulista no ano de 1717. A paróquia, que carrega no nome a homenagem à santa, já prepara uma programação especial para os próximos 12 meses. Entre as ações, está um grupo de terço dos homens, que acontecerá todas as quintas-feiras, às 19h30. A cada dia 12 também é promovida uma missa devocional na igreja. De acordo com o presidente da Paróquia de Nossa Senhora Aparecida, Dênis Amorilla, a carreata vem conquistando religiosos de outros bairros nos últimos anos. Desde a instalação da igreja no local, há 50 anos, a festa da padroeira é realizada anualmente e cativa os fieis jaraguaenses. “Os moradores da Ilha da Figueira já são bem presentes e o público só está crescendo. Para os próximos anos, planejamos uma expansão do estacionamento, pois o existente quase não suporta o número de veículos”, explica. A benção ao automóveis também fez parte das celebrações de ontem. Fé em família Há 23 anos, o casal Franciele Preis e Fabrício Pegaroro segue fielmente a padroeira do Brasil. Eles moram no bairro Ilha da Figueira e frequentem as missas e festas em homenagem a ela. Com a relação de fé sendo antiga, Franciele e Fabrício descrevem um momento marcante “Nossa filha estava com um problema intestinal muito grave e foi curada, dedicamos à ela essa dádiva”, citam. Ambos acreditam que cada vez mais pessoas estão buscando a religião para uma vida de harmonia e paz. “Procuramos passar esse ensinamento para nossas filhas também. Franciele, Fabricio casal - em O ato é de renovação da fé e agradecimento”, diz Franciele. Integrante dos Bombeiros se emociona durante carreata No seu segundo ano atuando na Corporação de Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul, Fernanda Rodrigues ficou feliz em ser convidada pela primeira vez para participar do momento de deslocamento da imagem de Nossa Senhora Aparecida. “Sou católica e sempre tive esse desejo, me senti muito feliz e realizada, é um momento de fé inexplicável”, comenta. A corporação levou a imagem da Paróquia São Sebastião até a Ilha da Figueira, passando pelas ruas centrais de Jaraguá do Sul. Os voluntários auxiliaram na descida da santa e do início da missa. “Foi uma emoção muito forte, não importa a idade, o gênero de quem está assistindo, por onde o caminhão passava todo mundo olhava, chorava ou mandava beijo. Essa relação com Deus é importantíssima”, destaca Fernanda. Benção da mãe Aparecida Carregando nos braços a padroeira, Alessandra da Veiga Gielow se emociona ao relatar as bençãos que recebeu da santa durante sua vida. Em 2008, segundo a devota, seu pai sofreu um infarto fulminante. “Rezei para que ele sobrevivesse e o tenho ao meu lado até hoje. Há doze anos meu irmão também tentou tirar a própria vida e ficou internado, vivendo após muitas orações. Ele também não podia ter filhos segundo os médicos, e agora temos uma bela sobrinha” conta. Alessandra agradece por ter recebido as graças e chama a santa, carinhosamente,  de mãe Aparecida. Em casa, ela mantém a estatueta de Nossa Senhora, que só foi retirada para receber a benção. Caminhada pela fé Vestida totalmente de azul, assim como o manto de Nossa Senhora, Etervina de Assis, com 61 anos de idade, deslocou-se de Schroeder para a cidade vizinha apenas para acompanhar a carreata. A senhora permaneceu durante todo o dia na igreja, participou das festividades e levou os familiares, incluindo os netos, que aproveitaram as brincadeiras organizadas para a comemoração do Dia das Crianças, também lembrado ontem. Etervina - em-2 Desde pequena, Etervina é devota da santa e afirma que ela já atendeu diversas solicitações suas em momentos de desamparo. “É um dia oração e reflexão, ela merece todo o nosso carinho”, enfatiza. IMG_0691-2